Hey, vamos dançar com Olga e o Mar?

Por Redação Entrecultura - 13/08/2016 08h52

olga

Depois de deixar saudade por um ano, Olga e o Mar voltam a balançar a rede dos nossos corações. Conversamos com Olga Victória, vocalista/compositora, que nos contou um pouco sobre o que vai rolar nesse palco purificador do Teatro Torquato Neto, neste sábado (13), ás 19 horas.

A banda, que começou em 2012, estavam se resguardando durante esse último ano, como disse Olga. Mas as produções não param e a cede pela volta dos palcos, o pedido do público por shows, fez com que ficasse ainda mais latente essa vontade. E porque não unir a fome com a vontade de comer? “Essa iniciativa de fazer o show pra angariar fundos foi a junção da vontade da gente tocar mais a necessidade de conseguir grana pra gravar um Ep. Pra fazer um ep sai caro e a gente não dispõe de recursos.”, contou a vocalista. Durante a semana, a campanha foi um sucesso, chegando a esgotar todos os kits que estavam sendo vendidos com produtos artesanais, colares, bolsas e até quadros da artista plástica Letícia Meireles.

“A Olga e o Mar foi o meu primeiro amor e até hoje eu me sinto muito bem por ser parte desse projeto tão bonito. Me fez ter uma ligação ainda mais forte com a música e sou grata por isso; especialmente pelo dia em que conheci a Kamila ( numa viagem muito louca ao RJ ) e por ela ter me apresentado a Olga para logo depois trazer os solinhos da escaleta para este Mar de canções e permanecer juntas até hoje. Eu fui convidada à dançar, aceitei e não parei mais!”, declarou Jéssica Sabino, tecladista da banda, amor pelo evento do show no facebook.

A banda começou a quatro anos atrás, tem um estilo bem próprio. Olga não gosta de rótulos, mas acho que a banda é a mistura do que iam ser as meninas super-poderosas: Tudo que há de bom no mundo! Tem a pegada de indie rock, folk, uma pitada de tempero brasileiro, e um lance regional. Uma identidade que só Olga e o Mar possui. “Temos elementos de vários estilos, mas não gosto muito de rótulos. As nossas influencias de música são da mpb, rock e regional, e isso reflete no nosso som. Depois desses quatro anos a gente viu que tá na hora realmente de parar e pensar, fazer um documento do que a gente conseguiu nesse tempo. O objetivo do ep é esse: não é vender, não é dar lucro, é documentar esse processo criativos da banda durante esses anos”, afirmou Olga.

O Show ainda vai contar com abertura de Hugo dos Santos e as puseartes (entrada), estão quase esgotadas, mais ainda dá tempo! Estão por 15 meia e 30 a inteira. Só posso desejar boa sorte a banda nessa nova estrada, e que aguardamos ansiosamente pelo ep.

 

Comentar