Teresina Alucinógena

Por Redação Entrecultura - 09/09/2016 17h44

 

 

Teresina Alucinógena

 

Na praça, ébrios companheiros bebem a noite
Um musical de figurantes bêbados
Cinesia da dança nos passos dados ao leste
Tentação de um novo décor

Do teatro à cidade, a peça se aglutina ao todo
A bebida acaba e se renova enquanto a madrugada acorda
Teresina a lúcida alucinação dos noturnos
O centro dos corpos da vitrine embaçada de álcool

No mostruário da estação musical, lusofonia.
Sabotagem da linguagem, gírias de sotaques
Palcos se unem em um jirau morfossintaxe
Português falado, gritado, dissimulado

Condiscípulos de língua ensaiam a ultima cena
A conversa no coletivo se dispersa no ponto final
Teresina a lúcida alucinação dos noturnos
O centro dos corpos da vitrine embaçada de álcool

 

 

Texto – Wanderson Carlos

Música – Roque Moreira; Lee Van Cleef

Comentar