Antologia poética “A mulher na literatura latino-americana” reúne poetas de dez países latinos

Por Redação Entrecultura - 08/08/2018 09h00

Com o objetivo de reafirmar a participação feminina na literatura, a escritora Marleide Lins e a professora Algemira Mendes, da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), produziram a antologia poética “A mulher na literatura latino-americana”, que reúne textos de escritoras brasileiras e de outros países latinos. A obra será lançada em setembro, no IV Colóquio Internacional de Literatura e Gênero, organizado pelo Núcleo de Estudos Literários e Gênero – NELG da UESPI.

O Entrecultura bateu um papo com Marleide Lins, que falou mais sobre a antologia, que foi publicada pela Avant Garde Edições, com recursos oriundos da Lei de Incentivo Estadual de Cultura – SIEC. “A publicação dessa antologia, além de possibilitar um diálogo literário transcultural entre países latino-americanos de língua portuguesa e hispano-americana, é de fundamental importância por reafirmar a participação da mulher na literatura, seja local, brasileira ou mundial. A pesquisa, o registro e a difusão da produção literária feminina são instrumentos que ecoam as vozes, o lugar de fala, geralmente, abafados pelos editores homens. A Avant Garde Edições sempre busca, em seus projetos editorias, preencher essas lacunas que ainda persistem em relação à literatura produzida fora do eixo ‘heterodominante’, seja de gênero ou étnico”, aponta.

A escritora explica que foram selecionadas poetas de dez países latino-americanos: Brasil, Argentina, Uruguai, Colômbia, Chile, Bolívia, Peru, México, Venezuela e Cuba. “Optamos pela expressão poética e buscamos contemplar, tanto as escritoras que são referenciais e símbolos de resistência de uma época, do século XIX e início do século XX, já em domínio público, como escritoras contemporâneas”, coloca.

Participam da antologia as estrangeiras Alfonsina Storni (Argentina); Dulce Maria Loynaz (Cuba); Gabriela Mistral  (Chile); Juana de Ibarbourou (Uruguai); Juana Inés de La Cruz (México); Julia Salinas S. (Colombia); Magda Portal (Peru);   María Calcaño (Venezuela) e Yolanda Bedregal de Cónitzer (Bolívia); e as brasileiras Cecília Meireles; Cidinha da Silva; Cláudia Manzolillo; Cláudia Simone Oliveira Andrade; Cristiane Tolomei; Dalila Teles Veras; Dinha Maria Nilda; Eliane Potiguara; Graça Vilhena; Luiza Amélia Queiroz; Luiza Cantanhede; Maria Firmina Reis; Marília Kobota; Marleide Lins; Nina Rizzi; Roseana Murray; Sérgia A. Martins; Socorro Lira; Tânia Lima e Vanessa Trajano.

“Para a seleção das escritoras não brasileiras consideramos nomes que se destacam na historiografia literária dos países contemplados e em pesquisas acadêmicas. Das brasileiras, três estão em domínio público. As contemporâneas foram selecionadas considerando a produção literária, as regiões do país, as gerações, bem como a literatura afro-brasileira e indígena”, finaliza Marleide Lins.

Comentários

Marleide Lins

Primeiro, agradecer à Thais pela entrevista antenada e edição cuidadosa.
Segundo, agradecer ao “entrecultura” pela iniciativa de produzir, criteriosamente, um site de cultura e por nos “escancarar” esse espaço.
Terceiro, conforme eu já havia solicitado, solicito, se possível, que seja retirado o nome da excelente poeta Graça Vilhena, para que eu me sinta à vontade ao difundir essa matéria.

09 ago, 2018 Responder

Comentar