Um chamado à reflexão e à resistência: Vem aí a 15ª Semana do Orgulho de Ser e a 18ª Parada da Diversidade

Por Thais Guimarães - 15/07/2019 19h46

Foi lançada, no último sábado (13), a 15ª Semana do Orgulho de Ser, que acontece entre os dias 25 e 31 de agosto em Teresina e Floriano, e a 18ª Parada da Diversidade de Teresina, marcada para 01 de setembro, e que trará Sandra de Sá como uma das atrações musicais. “ReXistirmos, a que será que se destina?” é o mote deste ano.

A Semana do Orgulho de Ser traz uma programação diversificada relacionada a pauta LGBTQI+, com rodas de discussão, palestras, aulas públicas, oficinas, exibição de filmes, dentre outras atividades, mantendo a logística descentralizada, como destaca Marinalva Santana, coordenadora do Matizes, grupo realizador do evento. “Sempre pensamos em realizar a Semana em vários espaços, porque nossa ideia é que o evento deve ir onde as pessoas estão, por isso não fazemos em um lugar fixo”, coloca.

A grande novidade deste ano, sem dúvidas, é a realização simultânea da Semana do Orgulho de Ser em Floriano. “O Solimar Oliveira, professor da Universidade Federal do Piauí e um dos fundadores do Matizes, se articulou com a professora Letícia Pereira, a primeira professora trans efetiva da UFPI. Eles fizeram uma programação bem bacana, com atividades durante todos os dias, na mesma lógica que utilizamos aqui, de maneira descentralizada”, informa Marinalva.

Para encerrar a Semana, a Parada da Diversidade levará ao palco nomes como Sandra de Sá, Lorena Simpson, Getúlio Abelha, Chandelly Kidman e Double Deck. O show acontece no estacionamento da Ponte Estaiada, na avenida Raul Lopes, a partir das 18h.

Por fim, Marinalva Santana afirma que a cada ano tem se tornado mais desafiador realizar a Semana do Orgulho de Ser e a Parada da Diversidade, contudo, os desafios sempre têm sido superados, devido ao caráter de resistência do grupo que se articula para fazer o projeto acontecer. “Esse é um ano atípico, infelizmente muita gente não percebe isso. Muitos LGBTs ainda ficam no deslumbre, pensando só em Parada da Diversidade, e a gente chama a atenção da importância de se fazer reflexão e fazer a resistência. Nessa conjuntura de retirada de direitos, de retrocessos absurdos, parece que muitas pessoas não estão percebendo a gravidade da situação, isso nos deixa tristes. É um ano bem difícil e nós obviamente estamos encontrando bem mais dificuldades para realizar o evento, o que nos salva é que já é um projeto bem consolidado, bem visto pelas instituições parceiras do Matizes, mas não tem sido fácil. Mesmo assim, acreditamos que essa edição pode ser um divisor de águas, porque, apesar de tudo, em uma conjuntura tão conservadora, nunca cogitamos deixar de realizar essa parada, então estamos peitando essas adversidades como um ato de rebeldia”, conclui.

 

Confira abaixo a programação completa da Semana do Orgulho de Ser:

PROGRAMAÇÃO SEMANA DO ORGULHO DE SER 2019

Comentar