Moisés Chaves é o Escândalo

Por Redação Entrecultura - 24/06/2016 09h57

entrecultura

Não tem título mais feliz do que esse. Moisés Chaves realmente é o Escândalo nesse emaranhado de artistas piauienses. Pra quem não sabe, ele completa 30 anos de carreira musical, mas bote mais oito, porque ele começou a 38 anos atrás com a dança. A dança levou ele para o teatro e o teatro levou ele para a música. Moisés começou cantando nos corais de Teresina e desde então não conseguiu se desligar dessa tal de música. E o que é música pra ele? Moisés não consegue dissociar o teatro da música. Pra ele o ato de falar já é musical. Música pra ele é a fala, é o som. “Música pra mim é um instrumento divino”, transmitiu essa frase o artista.

Entre tantos trabalhos que já apresentou, nesses 50 tons de Mocha, como Moisés denomina essa comemoração da carreira, ele fará a direção de três peças teatrais , um sarau de poesias, e claro, o grande espetáculo musical sensorial Escândalo. Nesse domingo, dia 26, no Theatro 4 de Setembro, ás 19 horas, a voz rasgante de Moisés Chaves vai cantar Ângela Rô Rô. E mais uma vez eu pergunto, por que cantar Ângela Rô Rô? Mocha diz que Rô Rô sempre foi sua maior referência. Sua obra, para ele, foi sempre inquieta, forte. “Que mulher é aquela com a voz daquele tamanho? Meio Maísa, meio doida, meio bêbada?! E aquilo me perturbava muito e resolvi escutá-la melhor e terminei me apaixonando por ela. E nada melhor do que cantar uma compositora brasileira de uma qualidade enorme.”, afirma.

Quando perguntei sobre o momento mais marcante da carreira de Moisés, ele me deu uma aula. Foram tantos momentos de glória, que seu momento mais marcante foi quando o show foi cancelado. Um divisor de águas para Moisés, soube para quem cantar. “Eu vou continuar fazendo o que eu estou fazendo. Se eu vou ter 400 pessoas na plateia, isso já não me interessa mais. Se o público pra mim tiver 200 pessoas que gostem do meu trabalho, pra mim é muito mais interessante que esses falem bem do meu trabalho do que ter um público de 4000 pessoas que não estão nem ai pra ti. Então é melhor você ser um artista notório do que ser um artista celebridade.”, pontua Mocha.

entrecultura
Moisés e Otávio Meneses na prova de figurino.

O Escândalo vai ser um espetáculo com duas vertentes. Meio teatro, meio música. Com direito a cenografia e figurino. Pra fazer essa entrevista, nos encontramos no ateliê de Otávio Meneses, que pra mim é um dos maiores estilistas da nossa terra, e está confeccionando o figurino para o show. Moisés experimentava seu figurino para o dia, e explicou que as músicas são meio que roteirizadas para contar uma história e claro que os clássicos de Ângela Rô Rô estão inseridos. Com direção musical de Gustavo Baião e direção geral de Soraya Guimarães, Mocha tá bem acompanhado. Além de Gustavo, tocará David Scooby no baixo, Gilson Fernandes na bateria e Geraldo Britto nas guitarras. O show tem tudo para ser um escândalo mágico, fervoroso e emocionante. Então amor, meu grande amor, dessa vez chegue na hora marcada para sentir o brilho de Moisés Chaves.

Comentar