Entre nudez e Avelarianas por Avelar Amorim

Por Redação Entrecultura - 22/02/2017 23h21

São duas propostas em uma só na exposição do artista Avelar Amorim que teve abertura no dia 21 de fevereiro na Casa da Cultura de Teresina. Elas são montadas em espaços diferentes da Casa, sendo a primeira na Galeria Lucílio Albuquerque e a segunda numa sala reservada da casa.

Avelar Amorim em foto de José Ailson

AS PROPOSTAS

1 – AS AVELARIANAS

São 25 (vinte e cinco) telas com técnicas variadas do artista que passeia na condução do seu croma nos caminhos de que transitam duas fases do artista; o da explosão multicolor dos temas florais que se dissolvem em mutação do figurativo expressionista pictórico de Amorim. Croma Avelariana é uma inconstante linha nervosa de surpresas no figurar de um mundo cênico e recriado do coletivo imaginário do artista que assume a excitação ilimitada da criação artística.

2 – TROCA NUDEZ?

São 30 obras em aquarela sobre canson A3, resultado de uma incansável e dedicada pesquisa de coleta num “garimpo” contemporâneo de nudez masculinos. Cada obra, busca uma releitura pictórica pela técnica da aquarela através do registro fotográfico de um voluntário que cedeu ou negociou a liberação de seu nudez ao artista. É uma repaginação do clássico desenho pelo modelo vivo que agora se adequa a tecnologia do aparelho celular. Não menos também, casando a uma reflexão sociológica numa perspectiva da banalização da imagem do corpo negociada em rede. Nesse recorte, o artista opta pela questão de gênero explorando justamente o menos explorado dentro da História da arte, o nu masculino pela ótica do artista. A exposição também tem a pretensão de possibilitar ao apreciador, uma reconstrução de conceitos desprovidos dos paradigmas do perfil estigmatizado das variadas formas físicas do corpo e das vertentes do gênero. Tentando também, eliminar a sujeira imposta pela moral imbuída ao quesito da figuração da genitália.

O ARTISTA

Natural de Miguel Alves-PI, é Artista Plástico formado pela Universidade Federal do Piauí no curso de Educação Artística com habilitação em Artes Plásticas, Especializado em História Cultural e Mestre em Antropologia; foi Arte-Educador da Rede Estadual de Ensino, Professor da Universidade Federal do Piauí do curso de Artes Visuais e atualmente é Professor Efetivo da mesma instituição no Colégio Técnico de Teresina. Amorim soma seu trabalho como professor ao trabalho de artista nas áreas de Cenografia, Ator e Diretor Teatral do Grupo Mosay de Teatro, tem experiências na área de dança contemporânea, Desenhista e Caricaturista. Foi coordenador de Artes Plásticas da Fundação Cultural Monsenhor Chaves, após adquirir duas premiações consecutivas no 13º Salão de Artes Plásticas de Teresina em 2005 com a melhor Pintura e melhor Performance. Seu trabalho explora texturas diversas, cores vivas e intensas com degradês suaves em composições que vão desde as formas orgânicas ao figurativo expressionista, como se retratasse uma cena teatral, talvez fruto de um laboratório do seu trabalho no campo das artes cênicas. Avelar Amorim possui em seu trabalho, uma identidade de fácil assimilação dos que já conhecem suas composições, passando por incógnitas ao erotismo. É hoje, mais um nome que integra a relação de outros nomes de considerável importância para as Artes Visuais Piauiense.

FONTE: Casa da Cultura de Teresina

Comentar