“Não Toque em Meu Companheiro”, de Maria Augusta Ramos, estreia direto nas plataformas de streaming

Por Eduarda Araújo - 07/07/2020 15h45

Novo longa da diretora reconstrói a luta histórica e de solidariedade dos funcionários da Caixa Econômica durante a greve de 1991. Documentário chega às plataformas no dia 15 de julho.

“Não Toque em Meu Companheiro”, novo longa da diretora Maria Augusta Ramos (“O Processo”) estreia direto nas plataformas de streaming quarta-feira, 15 de julho. O filme ganhou trailer e cartaz e estará disponível nas plataformas NetNow, Oi Play, Vivo Play, FilmeFilme e Looke. A produção é da NOFOCO Filmes, em coprodução com FENAE e licenciado pelo Canal Brasil.

O documentário reconstrói uma luta histórica e de solidariedade do sindicalismo brasileiro, quando os trabalhadores da Caixa Econômica Federal se mobilizaram pela reintegração de 110 colegas demitidos injustamente após uma greve da categoria, pagando seus salários durante um ano até sua readmissão. Ao reencontrar esses trabalhadores hoje, o filme traça um paralelo entre o período Collor, com suas medidas severas de redução do Estado, e o atual governo, que inaugura um novo ciclo neoliberal no país. O filme propõe uma reflexão sobre as relações atuais no mundo do trabalho.

“Através de Jair Ferreira da Fenae fui apresentada a essa história incrível de solidariedade dos trabalhadores da Caixa em 1991. Acho que é fundamental contar essa história nesse momento pelo qual estamos passando no Brasil e no mundo, no tocante às relações de trabalho e nesse cenário de crescente redução de direitos”, afirma a diretora.

 

Sobre Maria Augusta Ramos:

É uma diretora de cinema reconhecida internacionalmente.  Seus filmes foram premiados em diversos festivais. “O Processo” estreou na Berlinale e recebeu o Prêmio de Melhor Filme no festival suíço ‘Visions du Reel’, no DocumentaMadrid e no IndieLisboa. “Desi” ganhou o Prêmio do Público no IDFA – Festival de Doc de Amsterdam. Justiça foi premiado como ‘Melhor Filme” no ‘Visions du Reel’, no Taiwan Int. Doc. Fest e no CPH:Dox Copenhagen. “Juízo” recebeu Melhor Filme no One World IFF e o Prêmio Fipresci no DOK Leipzig. “Morro dos Prazeres” recebeu os Prêmios de Melhor Direção, Fotografia e Som no 46o Festival de Brasília. “Futuro Junho” ganhou Melhor Direção no Festival do Rio e Melhor Filme no Janela de Cinema em Recife. Em 2014, a diretora recebeu a Prêmio Marek Nowicki outorgado pela Helsinki Foundation of Human Rights pela sua obra.

 

Fonte: Primeiro Plano

Comentar