Kedma Roque + ENTRECULTURA: Há 2 meses fazendo #TAROTEMCASA

Por Eduarda Araújo - 03/08/2020 16h35

A Tarologa Kedma Roque fala sobre a experiencia participando da serie de lives #TAROTEMCASA há pouco mais de 2 meses

 

Já é sagrado no calendário do Entrecultura os encontros semanais com a taróloga Kedma Roque, desde o dia 20 de maio acontecem lives todas as quartas feiras às 21hrs no perfil do entrecultura no instagram(@entrecultura), com participação de Mariana Paz que é diretora geral do Entrecultura, e Kedma Roque que é taróloga profissional.

Durante as lives são debatidos temas referentes ao tarot e a espiritualidade ao longo desses quase 3 meses foram pautados as percepções do tarot na covid-19, baixas energéticas, banhos, bruxaria, mediunidade, felicidade, o despertar da consciência, paciência e empatia, além da tiragem de cartas onde Kedma consulta as cartas para responder a perguntas do público.

Kedma Roque era empresária e do dia pra noite se tornou taróloga. Ela foi um dos primeiros casos a ter a sindrome do panico no Brasil e ainda muito jovem passou por uma sessão de regressão onde se descobriu taróloga, “Eu já tinha um interesse pelo mundo esotérico mesmo antes, mas as coisas que aconteceram na minha vida não foram uma escolha consciente. Essa mudança até eu me tornar taróloga foi muito natural.” Pontua Kedma.

 

Kedma Roque (foto: arquivo pessoal)

Para a taróloga  as lives vieram como um presente, pois com o Tarot  ela se sente mais próxima das pessoas mesmo em época de pandemia.“Pra mim é uma alegria estar já a dois meses participando dessas lives. Eu não tenho nem palavras para agradecer, está tudo crescendo muito rápido, se você olhar da primeira até a mais recente a diferença de público é nítida e alguns já criaram uma conexão direta comigo” Destaca.

Mariana Paz, diretora geral do Entrecultura, foi quem trouxe Kedma para dentro da rotina de muitas pessoas e segundo ela a ideiadas lives a princípio foi devido a questões pessoais, pois ela é sensível a essas questões ligadas a espiritualidade. “No momento de pandemia eu achei que fosse adequado trazer essa realidade, gerar uma sequência de reflexões independente de religião ou de crença. Esse é um período de autoconhecimento de repensar esse momento de convivência consigo mesmo”.

Mariana ainda destaca: “A Kedma Roque é uma pessoa extremamente estudada e tem uma uma bagagem muito grande nessas questões sensíveis a espiritualidade. O que vivemos pode ser interpretado de diferentes maneiras pelas mais diferentes pessoas, mas o tarot  é como um oráculo e traz algumas orientações, conhecimento a espiritualidade”.

View this post on Instagram

com a taróloga @kedmaroque ❤️

A post shared by EntreCultura (@entrecultura) on

Após a pandemia Kedma pretende vir a Teresina para promover grande um encontro com o público que a acompanha através do Entrecultura. “Quero vir para teresina para fazer esse bate-papo. Na verdade estar nas lives e falando com muita gente ao mesmo tempo me faz sentir mais conectada com o tarot.” Pontua.

Kedma reforçou que ser taróloga, é sua missão! Sua trajetória com o tarot permitiu com que fizesse o bem para muitas pessoas e esse é seu maior pagamento!

 “Existem coisas que realmente a gente tem que passar e eu acredito que todos têm uma missão e minha missão é essa! Após as lives algumas pessoas vem até mim agradecer a resposta do tarot e é aí que eu percebo claramente a minha missão que é ajudar os outros”. Declarou a taróloga.

 

Comentar