“Hardcore contra o fascismo” reúne bandas de rock na Praça Pedro II neste sábado (10)

Por Redação Entrecultura - 09/11/2018 00h10

Neste sábado (10), a Praça Pedro II, no Centro de Teresina, vai ser palco do “Hardcore Contra o Fascismo”, evento que reunirá bandas de rock que se apresentarão em um show e manifesto frente a atual conjuntura política do país. Autoclismo, Banheiro de Rodoviária, Cianeto HC, Campo Minado 118, Escrotos, Kandover, Káfila, Mordedura, Maldito Necrotério, Mandu Ladino e Obtus são as atrações confirmadas.

O evento foi inspirado em um semelhante ocorrido em São Paulo (SP), como explica Lucas Barbosa, integrante da Autoclismo. “O evento surgiu através de iniciativas de bandas e coletivos do movimento underground, principalmente do cenário punk. A ideia repercutiu para todo o país, Brasília fez, Goiânia e Fortaleza. Estive no de São Paulo, gostei muito do que vi e trouxe a ideia para cá. A ideia é que seja uma iniciativa de todo mundo, que ninguém assine esse evento. Pensamos em fazer em um espaço público, de todos para todos”, informa.

Banda Autoclismo (Foto: Fernando Castello Branco)

O palco será montado na frente do Café Art Bar. “Vai ser a partir das cinco da tarde, cada banda vai ter 15 minutos para se apresentar. Além disso, vamos ter nos intervalos entre as bandas, intervenções de coletivos como o Grupo Matizes, que fará distribuição de materiais educativos”, afirma Lucas.

O músico enfatiza a importância dos movimentos artísticos se posicionarem diante de qualquer conjuntura politica.  “É sempre muito importante que, enquanto participantes de uma cena underground, a gente perceba a importância de trazer as discussões para dentro do movimento, porque não é só um movimento de música, é um movimento político. Se for avaliar, as raízes do hardcore e punk rock são essencialmente políticas. É importante que todas as vertentes da arte se posicionem contra o fascismo, porque o governo que teremos agora vai censurar qualquer manifestação artística e a gente é resistência, não pode se deixar sucumbir por esse tipo de coisa”, finaliza.

Comentários

Jessé Carvalho

É isso ai galera

09 nov, 2018 Responder

Comentar