Piaga – Festival de Artes Integradas acontece neste fim de semana no Clube dos Diários

Por Redação Entrecultura - 22/11/2019 08h48

Reunir Música, fotografia, artes visuais, intervenção, teatro, poesia e dança é um desafio, no mínimo ousado. Essa é a proposta do Piaga Festival, que acontece hoje e amanhã (22 e 23) no Complexo Cultural Clube dos Diários, com entrada gratuita.

Serão 28 espaços de exposição na Galeria do Clube dos Diários, em uma mostra diversificada de produção cultural piauiense.  No complexo serão  ocupados três ambientes: a Galeria, o teatro Torquato Neto e o Espaço Cultural Osório Júnior.  “Quando pensamos nesse projeto, de imediato o local escolhido foi o Complexo, pela própria arquitetura e pela possibilidade de integração entre as propostas de exposição, apresentação e música“, comentou a produtora do Piaga Alexandra Teodoro.

Nos dois dias de evento, a galeria do Clube dos Diários abre às 14h. Artistas como Inácio portela, Lis Andrade, João Torres, Jader Damasceno, Érico Ferry, Amanda Coelho, Alysson Carvalho, Alana Santos sabem bem a importância de disponibilizar suas obras para a apreciação do público. “Estou preparando uma surpresa em forma de artes visuais”, disse o artista João Torres, que tem trabalho nas principais galerias da capital. Uma de suas obras “a passagem de Buda pelo Himalaia” foi cenário para um dos shows da Banda Fronteiras Blues. Érico Ferry e Jader Damasceno expressam ousadia, em obras completamente diferentes mas, de igual importância para o movimento pró valorização da arte piauiense.  Jader, aliás, costuma se definir como ARTEVISTA. “A arte que eu faço é minha comunicação mais perfeita com o universo”, comentou o artista.

Na Galeria ainda serão disponibilizados livros, revistas, souvenires, camisetas, objetos de arte. Parte desse acervo ficará sob os cuidados do coordenador da Geleia Total, Noé Filho. Ele pretende expor e comercializar discos e livros de artistas piauienses. Simultaneamente irão ocorrer intervenções poéticas, seguidas de apresentação de dança, Capoeira.

O viés da espiritualidade é um traço marcante no  evento, pelo próprio termo Piaga, com três definições: Nativo do Piauí – Pajé ou sacerdote – religião politeísta nativa do Piauí. Nesse segmento participam do Piaga a terapeuta prânica Janaína Lages, o coordenador da Vila Pagã Rafel Noleto, as terapeutas Thetahealing Cami Rabelo e Silvia Patrícia e ainda o coordenador do Centro Adolfo Fritz, Paulo James. Eles levarão um pouco de seus conhecimentso acerca do assunto e farão atendimentos. Cami Rabelo e Silvia Patricia estarão com o espaço Terra, uma tenda mística, pensada especialmente para esse evento, com tarô intuitivo e outras artes advinhatórias. Paulo James levará telas pintadas em momento de meditação, que fazem parte do Arte Cura.

No teatro Torquato Neto, localizado dentro da Galeria, haverá apresentação de teatro e de curtas metragens. Arimatéia Bispo traz o Grupo de Teatro COTJOC, com a peça Dorothy, um texto do piauiense Roberto Muniz Dias. A atração será na sexta-feira, primeiro dia do festival. Moisés Chaves coordena o Grupo de Teatro da Uespi, que se apresenta no sábado com a montagem premiada de Melhor Espetáculo de 2019, O Santo inquérito.

Nos dois dias, as atividades da Galeria serão finalizadas com música no Palco André Russo: Modstock, Caju Pinga Fogo, Sarminina e Florais da Terra Quente. São expressões musicais fortes, que deveria constar em toda playlist piauiense. A música instrumental da Modstock surpreende. A qualidade técnica é um diferencial fácil de perceber. “Pensamos em todos os detalhes, ao analisar as bandas inscritas, porque o público merece o melhor”, relatou Amon-rá Nunes, produtor do Piaga e músico.

Caju Pinga Fogo é uma das atrações do evento (Foto; Sérgio Loureiro)

Na sequência, encerrando a noite, os shows continuam no Palco Piaga – no Espaço Osório Júnior com mais 10 atrações musicais divididas em dois dias de Piaga: Cami Rabelo, Cochá, Radiofonicos, Neanderthais, Fronteiras Blues, Opera Decay, Phunk Buda, Ell Griff, O Transtorno e a banda convidada Sundogs.  Idealizador do evento, o músico Benicio Brandão ressaltou a importância da participação da banda do Ceará, Sundogs: “achamos válido fazer um intercâmbio, no sentido de trazê-los para conhecer nosso Piaga e trocar experiências, já que eles também realizam um festival”.

A Banda Cochá vem trazendo o reggae de sempre adicionado a novos elementos que atualizam o processo de trabalho consagrado. De Parnaíba vem a Phunk Buda. Ell Griff e O Transtorno: Se você ainda não ouviu falar dessa turma, precisa acessar o instagram deles e perceber o quanto são populares, lotam shows e tem empatia com o público.

O Rock and roll aparece muit bem representado, desde o metal, com Opera Decay às distorções e técnica vocal da Neanderthais. Um evento que soma Fronteiras Blues (com cerca de 6 anos de existência e aceitação total do público) a Os Radiofônicos, que vem nessa estrada desde os tempos de Capitão Guapo.

No dia 23 a produção do evento vai disponibilizar um telão para assistir à final da Taça Libertadores. O Piaga tem apoio do SIEC.

Mais informações no Instagram do festival: @piaga_festival

 

Serviço:

Piaga Festival

Dias 22 e 23 de novembro

Espaço Cultural Clube dos Diários
Teatro Torquato Neto

Espaço Osório Júnior

Comentar