Enaltecendo a ancestralidade, Festival da Beleza Negra da Santa Maria da Codipi acontece neste sábado (30)

Por Thais Guimarães - 29/11/2019 00h07

Fechando o mês da Consciência Negra, acontece neste sábado (30) o Festival Afro Cultural da Beleza Negra da Santa Maria da Codipi, que neste ano chega em sua 18ª edição. Música, grafite, dança, desfiles e discussões sobre negritude marcam o evento, que será realizado na Praça da Santa Maria da Codipi, com o tema “Ancestralidade: redescobrindo as origens”.

O festival surgiu no início dos anos 2000, da iniciativa de um missionário que chegou na Santa Maria da Codipi, como informa o professor Fleibert Rodrigues, morador do bairro que ajuda a organizar o evento.

“O Festival da Beleza Negra foi pensado há 19 anos, idealizado pelo irmão Bento, um missionário que, em uma missão em Minas Gerais teve contato com o movimento negro, lá eles realizavam a festa da Beleza Negra. Ele achou interessante, e chegando em Teresina teve a ideia de fazer o evento aqui na Santa Maria, com uma ideia de promoção cultural onde a comunidade fosse protagonista, principalmente a juventude”, relembra.

Edições passadas do festival (Foto: Grupo Raças)

Após ser organizado pelos mais diversos gruoos e coletivos da comunidade, quem assume a organização do evento atualmente é o grupo Reação do Gueto. Fleibert Rodrigues afirma que o festival mobiliza todo o bairro, movimentando inclusive a economia local.

“Mobiliza e movimenta tanto a cena cultural como econômica do bairro. Tem um grande propósito no que diz respeito a identidade do povo daqui, em um contato ancestral também. Lembro que antes havia muito preconceito para quem era de religião de matriz africana se mostrar dentro da própria comunidade. As pessoas tinham vergonha, o preconceito era tão forte que elas iam para a missa, e de madrugada desciam para os terreiros. Com a festa da Beleza Negra, essas pessoas viram gente chegando de fora, com suas roupas, batendo tambor em praça pública, aquilo mexeu com a auto estima do povo e fez com que se reconhecessem”, analisa o educador.

 

Confira a programação completa:

16 h – grafite na praça
18 h – grupo Inês Carvalho
18:10 – grupo Vida e fé
18:20 – grupo do NAI
18:30 – grupo Kimolengo
18:50 – grupo do Marista
19 h – João preto Tipo A
19:10 – Movimentação capoeira
19:40 – Anjo sem Asas
19:50 – grupo de rap
20 h – desfile
20:30 – DJ 15
20:40 – Preto Reggae
20:50 – Reação do Gueto
21 h – Jorge Night
21:10 – premiação do desfile
21:20 – Severo
22:20 – Dj Adaesa

 

Comentar