Melhores Livros De Todos Os Tempos

Top 99 Melhores Livros De Todos Os Tempos

A lista que trazemos hoje reúne os 99 melhores livros de todos os tempos, cuidadosamente selecionados em colaboração entre o jornal The Guardian e o Norwegian Book Clubs.

Sabemos que a definição de livros clássicos pode variar de acordo com o gosto e a perspectiva de cada pessoa, mas o interessante é que essa lista foi compilada com base na opinião de 100 renomados autores de 54 países diferentes ao redor do mundo. Esses escritores foram convidados a listar os dez livros que tiveram o maior impacto na história cultural global e que moldaram o pensamento dos próprios autores. A participação de pessoas de diversas nações ajudou a superar qualquer viés local e a transcender as barreiras geográficas existentes.

Dom Quixote foi considerado o livro mais importante de todos os tempos, conquistando cerca de 50% a mais de votos que o segundo colocado. No entanto, além dessa informação, a lista não possui uma classificação exata. Portanto, apresentaremos os livros em ordem alfabética, seguindo os critérios do nome da obra em português.

Gostaria de destacar no texto que o país de origem foi mencionado para que você possa ter uma visão ampla da sua diversidade, permitindo que conheça histórias de autores de diferentes partes do mundo e de variados gêneros literários. É interessante notar que a Inglaterra lidera o número de livros mencionados, com um total de 17 obras, seguida pela França, com 13, e pelos Estados Unidos, com 11. Já o Brasil, orgulhosamente, tem uma obra na lista: “Grande Sertão: Veredas”.

Além disso, vale ressaltar que essas obras refletem o tempo e o local em que foram escritas, portanto é importante considerar esse aspecto durante a leitura.

Top 99 Melhores Livros de Todos os Tempos

1 – 1984 (George Orwell – 1949) 

A obra “1984”, de George Orwell, é uma mistura criativa de ficção científica distópica e ensaio político de excelência, tendo se estabelecido como referência desde sua publicação em 1949. Além disso, apresenta um relato amargo da vida em uma sociedade totalitária e as adversidades enfrentadas por aqueles que desejam combater esse sistema de dentro para fora.

Com tradução para 70 idiomas diferentes, sendo considerado um dos melhores livros de George Orwell e com mais de 30 milhões de cópias vendidas, “1984” é a obra que deu origem a diversos termos que jamais serão esquecidos pelo mundo, entre eles o Big Brother (o grande irmão, aquele que tudo vê).

Esse livro retrata, em sua base, um mundo distópico no qual somos apresentados à vida de Winston Smith, identificado pelo número 6079, e que ocupa uma função crucial no Departamento de Documentação.

Em essência, Smith é um burocrata cujo objetivo é eliminar qualquer elemento que possa prejudicar o sistema totalitário em que vive. Entre esses elementos estão a individualidade, o livre-arbítrio, o pensamento crítico e o amor – todos proibidos.

Contudo, ele próprio começa a ansiar por mais liberdade e se vê obrigado a lutar contra o partido único e contra o Grande Irmão para vivenciar um pouco daquilo que considera a essência da humanidade.

2 – A Consciência de Zeno (Italo Svevo – 1923)

A Consciência de Zeno (Italo Svevo – 1923)

Por muito tempo aclamado como uma obra inspiradora do modernismo, “A Consciência de Zero” é considerado um dos melhores livros de todos os tempos pela pesquisa conduzida pela NBC. O romance reflete os conflitos do protagonista, Zeno Cosini, um empresário italiano neurótico que está escrevendo suas confissões a pedido de seu psiquiatra, a quem ele nomeia como “S.”. Essa narrativa busca compreender melhor suas psicoses e vícios, enquanto fala sobre sua luta contra o tabagismo, seu relacionamento com Ada, Augusta e uma aspirante a cantora. Através desses episódios e reflexões, o livro proporciona uma jornada íntima e profunda de autoconhecimento.

3 – A Divina Comédia (Dante Alighieri – 1304) 

A Divina Comédia (Dante Alighieri – 1304) 

A magnífica obra poética de Dante Alighieri também marca presença nessa lista dos melhores livros de todos os tempos. A Divina Comédia é um comovente drama humano, frequentemente citado como a mais importante obra da literatura italiana.

A inesquecível jornada tem início com a descida de Dante às profundezas do inferno, onde ele é testemunha do infinito inferno. Em seguida, ele sobe as encostas do Purgatório, onde as almas cristãs estão em processo de purificação, até finalmente ascender ao Paraíso. Lá, ele encontra a harmonia universal e a eterna salvação, proporcionando-nos um final grandioso e sublime.

4 – A Epopeia de Gilgamesh – (Sin-leqi-unninni – 1800 aC)

A Epopeia de Gilgamesh – (Sin-leqi-unninni – 1800 aC)

“A Epopeia de Gilgamesh é considerado o registro literário mais antigo que temos conhecimento e, devido à sua influência, figura entre os melhores livros de todos os tempos.

A versão clássica do poema é atribuída ao sacerdote-exorcista Sin-léqi-unnínni e se destaca como um extenso poema originalmente dividido em doze placas de escrita cuneiforme, o primeiro sistema de registro conhecido.

A narrativa desses versos ressalta diversas lendas e poemas sumérios sobre o mítico deus Gilgamesh e seu íntimo companheiro, Enkidu, um homem selvagem criado pelos deuses para evitar que Gilgamesh oprimisse os habitantes de Uruque.

A obra atraiu a atenção dos historiadores devido à sua descrição do dilúvio, relatado muito antes do Antigo Testamento. Assim, na parte final da obra, destaca-se a reação de Gilgamesh à morte de Enkidu, o que desperta em sua mente uma espécie de obsessão em busca da imortalidade. Ele embarca em uma jornada perigosa para descobrir o segredo da vida e é nesse trecho que ele conhece Utnapishtim, o herói imortal do dilúvio.”

Note: The original text was already in Portuguese, so there is no need to translate it again.

5 – A História (Elsa Morante – 1974) 

 A História (Elsa Morante – 1974) 

“História” de Elsa Morante (1974): Este fascinante romance italiano aborda minuciosamente a jornada de vida de Ida Ramundo, desde a sua adorável infância até a sua plena maturidade, acompanhando de perto suas experiências enriquecedoras, relacionamentos marcantes e descobertas pessoais profundas. O livro se destaca pela sua impressionante descrição realista e minuciosa da vida de uma mulher no século XX, além de sua abordagem analítica e profunda das complexidades psicológicas e das questões sociais relevantes da época. Em suma, uma obra magistral que nos transporta para o contexto cultural e histórico da época com uma escrita envolvente e imersiva.

6 – A Montanha Mágica (Thomas Mann – 1924) 

A Montanha Mágica (Thomas Mann – 1924)

“A Montanha Mágica”, consagrada obra literária escrita por Thomas Mann e publicada em 1924, é um romance histórico e filosófico que utiliza uma abordagem criativa e reflexiva para explorar a condição humana. A trama envolve Hans Castorp, um jovem engenheiro que embarca em uma viagem para visitar seu primo, Joachim Ziemssen, em um sanatório localizado em uma montanha. O que era para ser apenas uma visita acaba se transformando em uma estadia de sete anos, durante os quais ele mergulha em uma jornada de autodescoberta e compreensão sobre diversos aspectos da vida.

Situado no contexto da Primeira Guerra Mundial e da Europa em tempos de mudanças, “A Montanha Mágica” vai além de uma simples narrativa, abordando temas profundos como saúde, medicina, arte e moralidade. Essa obra-prima da literatura alemã também se destaca como uma crítica social à sociedade da época. Além disso, é conhecida por sua minuciosa descrição da vida no sanatório, conduzindo o leitor por uma jornada poética e filosófica. Com sua linguagem envolvente e rica em detalhes, esse livro fascina e instiga tanto intelectualmente quanto emocionalmente.

7 – A Morte de Ivan Ilyich (Liev Tolstói – 1866) 

A Morte de Ivan Ilyich (Liev Tolstói – 1866)

A Morte de Ivan Ilyich é um romance fascinante escrito pelo renomado autor Liev Tolstói e publicado no ano de 1886. A obra conta a inspiradora história de Ivan Ilyich, um juiz altamente respeitado na Rússia czarista, que enfrenta uma doença séria e, ao longo do processo, percebe que sua existência foi marcada por um vazio e uma falta de propósito.

Considerado amplamente como um dos melhores livros já escritos em todos os tempos, A Morte de Ivan Ilyich é uma verdadeira obra-prima no cenário da literatura russa. Além de abordar a temática da morte, a obra também explora questões fundamentais da vida, da existência e da busca pela felicidade genuína. Vale ressaltar que o livro se destaca pelo detalhamento minucioso da vida de Ivan Ilyich, oferecendo um retrato fiel da sociedade russa da época e fazendo uma contundente crítica à hipocrisia e superfic

8 – A Vida e Opiniões de Tristram Shandy (Laurence Sterne – 1759)

A Vida e Opiniões de Tristram Shandy (Laurence Sterne – 1759)

“A Vida e as Opiniões de Tristram Shandy” é um romance incrível e divertido escrito por Laurence Sterne e publicado em 1759. Este livro excepcional narra a história de Tristram Shandy, um personagem peculiar que tenta escrever sua própria biografia, mas acaba se distraindo com histórias paralelas e digressões hilárias.

Esta obra-prima não apenas explora temas profundos como a vida, a existência, a narrativa e a subjetividade, mas também encanta os leitores com sua estrutura não-linear e linguagem altamente criativa e humorística. Cada página é uma jornada intrigante e cheia de surpresas para os amantes da literatura.

“Tristram Shandy” proporciona uma experiência de leitura gratificante e envolvente que certamente cativará o coração e a imaginação de todos aqueles que se aventurarem em suas páginas repletas de inteligência e encanto.

9 – Absalão, Absalão! (William Faulkner – 1936) 

Absalão, Absalão! (William Faulkner – 1936)

Absalão, Absalão! é um romance fascinante escrito por ninguém menos que o genial William Faulkner e publicado em 1936, há mais de oito décadas. Este maravilhoso livro narra com maestria a história de Thomas Sutpen, um homem ambicioso e destemido que ousa construir uma dinastia no encantador sul dos Estados Unidos. Mas não para por aí, meu caro(a), o livro também nos envolve com a envolvente e emocionante vida de seu filho, Henry, e de seus netos, Charles Bon e Quentin Compson.

Absalão, Absalão! tem como pano de fundo temas fascinantes e profundos, como a família em toda sua complexidade, a herança que nos molda, a história que nos cerca e a eterna luta pelo poder que permeia nossa sociedade. É impossível não se encantar com a escrita poética de Faulkner, que nos leva a uma verdadeira viagem literária pelas magníficas paisagens do sul dos EUA, mais específicamente pela sociedade sulista que tanto nos intriga e fascina.

Portanto, prepare-se para uma verdadeira imersão nas páginas de Absalão, Absalão! e aproveite cada palavra dessa obra-prima literária que deixará uma marca indelével em sua alma de leitor ávido por novas aventuras e grandes histórias!

10 – Almas Mortas (Nikolai Gogol – 1842) 

Almas Mortas (Nikolai Gogol – 1842) 

Almas Mortas é uma coletânea de contos escrita por Nikolai Gogol e publicada em 1842. O livro narra de maneira criativa e envolvente as histórias vividas por camponeses e pequenos burgueses na Rússia czarista. Com uma pitada de humor e ironia, Almas Mortas é reconhecido por sua crítica social à época, evidenciando os problemas econômicos e políticos da sociedade russa. Além disso, a obra aborda temas universais como a busca pela felicidade e a reflexão sobre a existência. Uma característica marcante desse livro é a forma única e cômica com a qual Gogol retrata a realidade social.

11 – Amada (Toni Morrison – 1987) 

Amada (Toni Morrison – 1987) 

Amada é um romance incrível escrito por Toni Morrison e publicado em 1987. Nessa obra-prima, a autora compartilha a fascinante história de Sethe, uma escrava corajosa que, após a cruel Guerra Civil Americana, foge para o norte em busca de liberdade e de sua verdadeira identidade. 

O livro nos envolve com uma estrutura narrativa não-linear, transportando-nos do presente ao passado, alternando pontos de vista e explorando minuciosamente cada faceta dessa história sombria e complexa. A escrita de Morrison é verdadeiramente poética, e ela aborda de maneira desafiadora a história e a experiência afro-americana, trazendo uma perspectiva enriquecedora e profunda.

Essa obra destaca-se como uma das mais importantes da literatura contemporânea, sendo admirada por sua abordagem complexa e impactante. Amada é uma leitura essencial para quem deseja mergulhar em uma história poderosa e reflexiva sobre identidade, liberdade e a riqueza da experiência afro-americana.

12 – Anna Kariênina (Liev Tolstoi – 1877) 

Anna Kariênina (Liev Tolstoi – 1877) 

Anna Kariênina é um romance épico e cativante escrito por Liev Tolstói e publicado em 1877. O livro nos conta a fascinante história de Anna Kariênina, uma jovem nobre russa que se vê envolvida em um romance proibido, lançando-se em uma jornada tumultuosa onde luta incansavelmente para encontrar a verdade e a felicidade que tanto almeja.

Um dos aspectos que torna a obra Anna Kariênina tão especial e digna de ser considerada um dos melhores livros de todos os tempos é a sua notável complexidade e profundidade literária. Tolstói, brilhantemente, tece palavras em um enredo envolvente e detalhista, transportando o leitor para a sociedade russa da época e revelando sua característica ímpar de ficção histórica.

Anna Kariênina se destaca como um dos maiores romances já escritos, conquistando corações e mentes com sua narrativa envolvente e personagens intrincados. É uma obra-prima que merece ser apreciada e celebrada pela sua grandiosidade literária.

13 – Ao Farol (Virginia Woolf – 1927) 

Ao Farol (Virginia Woolf – 1927) 

Ao Farol é um romance maravilhoso escrito por Virginia Woolf e publicado em 1927. O livro narra de forma magistral a história de um casal encantador, Rachel e Lily, que decidem fazer uma visita a um farol fascinante situado na costa da Inglaterra. Durante essa jornada, eles mergulham em profundos pensamentos e reflexões sobre a vida e a existência humana.

Ao Farol se destaca por sua escrita cativante e experimental, sendo conhecido por sua abordagem narrativa não linear que instiga os leitores. É indiscutível que esse livro merece um lugar de destaque na lista dos melhores livros de todos os tempos. Um dos aspectos diferenciados que fazem de Ao Farol uma obra-prima é a forma como Woolf explora brilhantemente a subjetividade e a consciência dos personagens, proporcionando uma experiência de leitura extremamente envolvente. Sua escrita poética e simbólica apenas reforça ainda mais a grandiosidade desse romance incrível.

14 – As Aventuras de Huckleberry Finn (Mark Twain – 1884)

As Aventuras de Huckleberry Finn (Mark Twain – 1884)

As Aventuras de Huckleberry Finn é um romance clássico escrito por Mark Twain e publicado em 1884. Este livro excepcional conta de forma cativante a história de Huck Finn, um jovem branco da classe trabalhadora, e sua incrível jornada ao longo do majestoso rio Mississippi ao lado de Jim, um corajoso escravo fugitivo em busca de liberdade.

Esta obra-prima literária é amplamente conhecida por sua poderosa crítica social à escravidão, que expõe as injustiças e desigualdades enfrentadas na época, proporcionando uma visão perspicaz da vida no sul dos Estados Unidos. Com uma abordagem irreverente e revolucionária, Mark Twain nos presenteia com uma narrativa repleta de personagens memoráveis e situações inesquecíveis.

Uma das facetas mais extraordinárias desta história é a maneira como Twain retrata a relação de amizade genuína entre Huck e Jim, que transcende as barreiras do preconceito e preza pela empatia e compreensão mútua. Além disso, o livro se destaca por sua qualidade de ficção histórica, transportando o leitor diretamente para uma época marcante da história americana.

Em suma, As Aventuras de Huckleberry Finn é uma obra-prima que merece ser explorada em toda a sua extensão, proporcionando uma experiência literária enriquecedora e emocionante para todos que mergulharem em suas páginas.

15 – As Histórias Completas (Franz Kafka – 1935)

As Histórias Completas (Franz Kafka – 1935)

As Histórias Completas de Franz Kafka é uma coletânea de contos escrita por Franz Kafka e publicada em 1935. O livro aborda histórias de indivíduos que se encontram em situações absolutamente complexas e as suas tentativas de compreendê-las. Ao longo das páginas, o autor explora de maneira surrealista e existencialista a realidade, além de apresentar uma escrita enigmática que caracteriza sua ficção metafísica. Um dos aspectos mais distintivos desta obra é a maneira como Kafka mergulha na ansiedade e na alienação humana, explorando-as de forma única. Infelizmente, ainda não existe uma versão em português disponível para este livro maravilhoso.

16 – As Viagens de Gulliver (Jonathan Swift – 1726) 

As Viagens de Gulliver (Jonathan Swift – 1726) 

As Viagens de Gulliver é um romance incrivelmente fascinante escrito por Jonathan Swift e publicado pela primeira vez em 1726. A trama gira em torno do personagem principal, Lemuel Gulliver, um destemido médico e viajante, que embarca em aventuras extraordinárias por diversos países totalmente imaginários.

Este livro é amplamente reconhecido pela sua narrativa satírica e crítica social à sociedade inglesa, além de sua abordagem única de ficção utópica. O que o diferencia de outros livros é a forma sutil e perspicaz como Swift retrata a natureza humana através de uma escrita divertida, repleta de humor e ironia.

As Viagens de Gulliver é uma obra atemporal que nos transporta para um mundo imaginário repleto de personagens intrigantes e cenários impressionantes. Através das aventuras de Gulliver, somos convidados a refletir sobre as complexidades da natureza humana e a própria sociedade em que vivemos. Um verdadeiro deleite para os amantes da literatura!

17 – Berlin Alexanderplatz (Alfred Doblin – 1929) 

Berlin Alexanderplatz (Alfred Doblin – 1929) 

Berlin Alexanderplatz é um romance excepcionalmente cativante e envolvente escrito por Alfred Döblin, que foi publicado em 1929 e continua a fascinar leitores até os dias de hoje. O enredo do livro gira em torno da vida de Franz Biberkopf, um homem comum que enfrenta desafios significativos após ser libertado da prisão. A história se desenrola de forma magistral, transportando-nos para a vibrante e fascinante cidade de Berlim, um lugar que se torna o palco de uma série de eventos emocionantes e impactantes.

O que torna Berlin Alexanderplatz verdadeiramente especial, além de sua abordagem realista e psicológica da vida urbana, é a habilidade ímpar de Döblin de retratar a vida dos personagens com uma escrita intensa e detalhada. Cada página é rica em nuances e nos permite mergulhar profundamente nas experiências vividas por Franz e outros personagens notáveis.

Ao ler Berlin Alexanderplatz, somos levados a uma jornada emocional e intelectual que nos obriga a refletir sobre a condição humana, a luta pela redenção e a complexidade das relações sociais. É um verdadeiro testamento à genialidade literária de Döblin e uma obra-prima que merece ser apreciada e explorada em todos os seus detalhes fascinantes.

18 – Cantos (Giacomo Leopardi – 1819) 

Cantos (Giacomo Leopardi – 1819) 

“Cantos” é uma fascinante coletânea de poesias escrita por Giacomo Leopardi e publicada em 1819. Este cativante livro possui uma ampla variedade de poemas que abordam diversos temas, incluindo lirismo, amor e a majestosidade da natureza. “Cantos” é conhecido por sua escrita poética que cativa os leitores, bem como por abordar de forma filosófica a vida e a existência. Um dos aspectos mais marcantes e diferenciados deste livro é a forma como Leopardi explora a natureza, oferecendo uma escrita intensa e detalhada que transporta os leitores para um mundo de reflexões e contemplações profundas.

19 – Cem Anos de Solidão (Gabriel Garcia Márquez – 1967) 

Cem Anos de Solidão (Gabriel Garcia Márquez – 1967) 

Cem Anos de Solidão é uma obra-prima do romance escrita por Gabriel Garcia Márquez e publicada em 1967. Este livro fascinante conta as histórias de várias gerações da família Buendía e sua vida na cidade fictícia de Macondo.

“Cem Anos de Solidão” é amplamente aclamado pela sua abordagem única de ficção histórica. Um dos aspectos mais notáveis deste livro é a maneira como Marquez retrata a vida e a história da América Latina, por meio de uma escrita poética e simbólica que cativa os leitores.

Com sua narrativa rica e envolvente, “Cem Anos de Solidão” mergulha os leitores em um mundo mágico cheio de personagens intrigantes e eventos extraordinários. É uma obra literária que tem o poder de transportar os leitores para além do tempo e do espaço, proporcionando uma experiência de leitura verdadeiramente enriquecedora.

20 – Contos de Fadas (Hans Christian Andersen – 1835)

Contos de Fadas (Hans Christian Andersen – 1835)

“Contos de Fadas de Hans Christian Andersen” é uma maravilhosa coletânea de contos escrita pelo talentoso e renomado autor Hans Christian Andersen. Publicada em 1835, essa obra encantadora é composta por uma ampla variedade de contos de fadas que têm cativado a imaginação de milhões de leitores em todo o mundo.

Dentre os contos presentes nesse livro magnífico, destacam-se “A Pequena Sereia”, “O Soldadinho de Chumbo” e “A Roupa Nova do Rei”. Cada história é um mergulho profundo e envolvente em um universo repleto de encanto e ensinamentos, nos quais personagens encantadores ganham vida e trazem consigo mensagens significativas.

Considerado um dos melhores livros de todos os tempos, “Contos de Fadas de Hans Christian Andersen” é apreciado por sua escrita poética e sua abordagem simbólica sobre a vida e a existência. As histórias de Andersen transcendem o tempo e são consideradas clássicos da literatura infantil, sendo lidas e apreciadas por crianças e adultos de todas as idades em diversos cantos do globo.

21 – Crianças do Beco (Naguib Mahfouz – 1959) 

Crianças do Beco (Naguib Mahfouz – 1959) 

“Children of the Alley” é uma obra incrível escrita por Naguib Mahfouz e publicada em 1959. O livro narra a fascinante saga de várias gerações da família egípcia Al-Sayyid Ahmad e sua vida na vibrante cidade do Cairo. Conhecido por sua abordagem realista e crítica social da vida no Egito, o livro destaca-se por seu caráter de ficção histórica envolvente. Um aspecto notável desta obra é a forma como Mahfouz retrata de maneira intensa e detalhada a vida e a história do Egito. Com sua narrativa cativante, “Children of the Alley” é uma leitura imperdível para quem deseja se aventurar pelos encantos dessa rica cultura egípcia.

22 – Crime e Castigo (Fiódor Dostoiévski – 1866) 

Crime e Castigo (Fiódor Dostoiévski – 1866) 

Crime e Castigo é uma obra-prima escrita por Fiódor Dostoiévski e publicada em 1866. Neste romance incrível, somos apresentados à história fascinante de Raskolnikov, um jovem estudante que comete um crime terrível e luta para lidar com as consequências avassaladoras de seus atos.

Através de sua abordagem realista e psicológica dos personagens, Crime e Castigo é amplamente aclamado como um dos melhores livros já escritos em todos os tempos. Além disso, ele oferece uma descrição minuciosa e envolvente da vida na Rússia do século XIX, proporcionando aos leitores uma visão autêntica e cativante da época.

Enquanto uma obra de ficção histórica, Crime e Castigo também explora temas profundos e significativos, como a culpa e a redenção. Esta história comovente e complexa mergulha profundamente na psique do protagonista, nos fazendo refletir sobre nossa própria humanidade e os dilemas morais que enfrentamos.

Não há dúvida de que Crime e Castigo é uma leitura obrigatória para aqueles que buscam uma experiência literária enriquecedora e desafiadora. Com sua narrativa envolvente e profunda, este livro é capaz de nos transportar para um mundo diferente, ao mesmo tempo em que nos faz refletir sobre questões universais que estão presentes em nossa própria existência.

23 – Diário de um Louco e Outras Histórias (Lu Xun – 1918)

Diário de um Louco e Outras Histórias (Lu Xun – 1918)

Diário de um Louco é uma coletânea de contos escrita por Lu Xun, que foi publicada pela primeira vez em 1918. O livro é composto por várias histórias incríveis, incluindo o famoso conto que dá nome ao livro, “Diário de um Louco”, e também “O Velho Cão”. Com sua originalidade e inovação literária, Diário de um Louco é considerado um dos melhores livros de todos os tempos.

A obra é conhecida por sua abordagem crítica da sociedade e da cultura chinesa da época, e também por explorar temas profundos como a alienação, a loucura e a liberdade individual. Por essas razões, Diário de um Louco é amplamente reconhecido como um dos pilares da literatura moderna chinesa. Este livro é essencial para aqueles que desejam compreender a história e a rica cultura da China.

24 – Dom Quixote (Miguel de Cervantes – 1605) 

Dom Quixote (Miguel de Cervantes – 1605) 

Dom Quixote é um romance clássico escrito em 1605 por Miguel de Cervantes. Publicado na Espanha, o livro conta a história do nobre espanhol Dom Quixote, que se encanta com as histórias de cavalaria e decide embarcar em uma jornada repleta de aventuras ao lado de seu leal escudeiro Sancho Panza.

Considerado um dos melhores livros de todos os tempos, Dom Quixote é aclamado por sua abordagem cômica e crítica da sociedade e cultura espanholas da época. Além disso, a obra explora temas como a loucura, a ficção e a realidade, proporcionando uma reflexão profunda sobre a condição humana.

Dom Quixote é um dos principais expoentes da literatura espanhola e uma referência essencial para compreender a história e a cultura do país. Sua influência perdura até os dias de hoje, inspirando leitores de todas as gerações a embarcar em aventuras imaginárias e a refletir sobre a complexidade da existência humana.

25 – Édipo Rei (Sófocles – 429 a.C.) 

 Édipo Rei (Sófocles – 429 a.C.) 

Édipo Rei é uma incrível tragédia escrita por Sófocles, que foi publicada em 429 a.C. No decorrer do livro, somos levados a mergulhar na história de Édipo, o nobre rei de Tebas, que em busca de desvendar o mistério por trás de seu nascimento, acaba por descobrir que ele mesmo é responsável pela trágica morte de seu pai e pelo inesperado casamento com sua própria mãe. 

Édipo Rei traz uma abordagem trágica e épica sobre a mitologia grega, e além disso, o livro é conhecido por abordar temas tão profundos como o destino, o livre-arbítrio e a inegável culpa. Essa obra é considerada, sem sombra de dúvidas, uma das maiores e mais importantes da literatura grega antiga.

26 – Em Busca do Tempo Perdido (Marcel Proust – 1913)

Em Busca do Tempo Perdido (Marcel Proust – 1913)

Em Busca do Tempo Perdido é uma série de romances escrita por Marcel Proust, publicada entre os anos de 1913 e 1927. A obra narra a história do personagem-narrador, Marcel, e suas diversas reflexões sobre a vida e a memória, ao longo do tempo. Este livro é considerado por muitos como um dos melhores da literatura mundial, sendo famoso pela sua narrativa experimental e pela descrição minuciosa da vida na França nos séculos XIX e XX. Além disso, a obra é amplamente conhecida por explorar temas como memória, arte e identidade. Em suma, é indiscutivelmente uma das principais e mais influentes obras da literatura francesa.

27 – Eneida (Virgílio -19 a.C )

Eneida (Virgílio -19 a.C )

“A Eneida” é uma obra épica escrita por Virgílio e publicada em 19 a.C. Este livro narra a história de Eneias, um herói troiano, e sua jornada em busca de fundar a cidade de Roma. A Eneida é amplamente reconhecida como uma das principais obras da literatura latina e desempenha um papel fundamental na compreensão da mitologia e da história romana. Através de sua abordagem épica e detalhada, o livro explora a vida e a sociedade romana, além de mergulhar em temas fascinantes como o destino, a honra e o amor à pátria. A imensa riqueza de detalhes e a complexidade dos personagens fazem dessa obra uma leitura envolvente e inesquecível. Portanto, “A Eneida” é uma peça essencial tanto para os amantes da literatura clássica quanto para aqueles interessados na cultura e no legado da Roma antiga.

28 – Ensaio Sobre a Cegueira (José Saramago – 1995)

Ensaio Sobre a Cegueira (José Saramago – 1995)

“Ensaio Sobre a Cegueira” é um romance incrível do consagrado escritor português José Saramago, lançado em 1995 e que merece a nossa atenção especial. A narrativa fascinante nos transporta para uma cidade castigada por um surto repentino de cegueira, afetando a vida de sua população de forma drástica. Através dos olhos de um grupo de personagens cativantes, somos levados a refletir sobre a fragilidade da sociedade e a própria natureza humana.

Saramago utiliza a cegueira como uma poderosa metáfora, revelando como muitas vezes falhamos em enxergar a realidade e as nossas próprias imperfeições. Não é à toa que esta obra-prima foi agraciada com o prestigioso Prêmio Nobel de Literatura em 1998. Definitivamente, “Ensaio Sobre a Cegueira” merece um lugar de destaque em qualquer lista que compile os melhores livros de todos os tempos.

29 – Ensaios (Michel de Montaigne – 1580) 

Ensaios (Michel de Montaigne – 1580) 

“Ensaios” é uma coleção de escritos do renomado filósofo e escritor francês Michel de Montaigne, originalmente publicada entre os anos de 1580 e 1588. Esta obra notável é composta por três volumes que abarcam uma ampla gama de ensaios sobre temas como moralidade, política, educação, religião e a natureza humana.

Montaigne é reverenciado como o pioneiro do ensaio moderno e sua obra é reconhecida por sua honestidade, humildade e reflexão profunda. Ele ousou escrever sobre si mesmo e suas experiências, uma abordagem inovadora para a época. Sua obra é considerada uma das principais referências da literatura francesa e continua a influenciar escritores e pensadores de diversas épocas e lugares até os dias de hoje.

30 – Fausto (Johann Wolfgang von Goethe – 1808) 

Fausto (Johann Wolfgang von Goethe – 1808) 

“Fausto” de Johann Wolfgang von Goethe: Este clássico da literatura alemã é uma fascinante obra que conta a história de um homem chamado Fausto, que, movido por sua sede insaciável por sabedoria e poder, faz um pacto com o diabo. Ao explorar profundamente a natureza da vida, o sentido da existência e o preço do sucesso, o livro nos transporta para uma jornada épica de reflexões e questionamentos existenciais. Publicado pela primeira vez em 1808, a obra foi escrita ao longo da vida de Goethe e teve sua segunda parte publicada postumamente, consolidando-a como uma das maiores realizações da literatura alemã.

31 – Ficções (Jorge Luis Borges – 1944) 

Ficções (Jorge Luis Borges – 1944) 

“Ficções” de Jorge Luis Borges é um livro de contos que é amplamente aclamado como uma das obras mais importantes da literatura latino-americana e uma das melhores de todos os tempos. O autor, Jorge Luis Borges, apresenta histórias incrivelmente cativantes que exploram temas como a realidade, a percepção e a memória. Com uma narrativa complexa e sofisticada, essas histórias são verdadeiras obras-primas literárias, repletas de múltiplas camadas de significado que instigam profundas reflexões. Definitivamente, uma obra literária que merece ser valorizada e apreciada.

32 – Filhos e Amantes (DH Lawrence – 1913) 

Filhos e Amantes (DH Lawrence – 1913) 

“Filhos e Amantes” de D.H. Lawrence: Este romance narra a cativante história de uma familia campestre na Inglaterra do inicio do século XX. Ele concentra minuciosamente as relações familiares e amorosas dos personagens, explorando com maestria a fascinante natureza e mergulhando profundamente nas complexas emoções humanas, em especial aquelas relacionadas ao amor. Este livro é reconhecido pela sua descrição minuciosa da natureza, assim como pelo seu impecável estudo dos sentimentos humanos.

33 – Folhas de Relva (Walt Whitman – 1885)

Folhas de Relva (Walt Whitman – 1885)

“Folhas de Relva” de Walt Whitman: Este livro de poemas é amplamente reconhecido como uma das obras mais magníficas da literatura americana. O autor, Walt Whitman, escreveu uma coleção de poemas que exaltam a exuberância da natureza, a intensidade da vida e a preciosidade da liberdade. Sua poesia se destaca por seus versos longos e livres, que capturam a autenticidade brava e inovadora da nação americana de forma efervescente e vibrante.

34 – Fome (Knut Hamsun – 1890) 

Fome (Knut Hamsun – 1890) 

“Fome” de Knut Hamsun: Este envolvente romance narra a cativante história de Pelleas, um desafortunado homem sem residência fixa que se empenha diariamente para encontrar meios de subsistência em meio às ruas movimentadas de Christiania, na belíssima Noruega. A obra literária é amplamente aclamada por sua marcante e realista representação da vida na penúria, além de sua profunda análise das complexas motivações que conduzem as ações humanas.

35 – Gente Independente (Halldor K Laxness – 1934)

Gente Independente (Halldor K Laxness – 1934)

“Gente Independente” escrito por Halldor K Laxness em 1934, é um romance islandês que narra a jornada de Jon, um homem determinado a preservar sua independência e integridade moral diante das pressões da sociedade e da religião. Este livro é amplamente reconhecido por sua descrição minuciosa e realista da vida rural na Islândia, bem como sua análise perspicaz das questões sociais e políticas que permeavam a época em que foi escrito.

36 – Grande Sertão: Veredas (João Guimarães Rosa – 1956) 

Grande Sertão: Veredas (João Guimarães Rosa – 1956) 

“Grande Sertão: Veredas” de João Guimarães Rosa (1956): Este romance brasileiro narra de forma criativa a jornada de Riobaldo, um homem que se destaca como líder de bandidos e enfrenta desafios em busca de um propósito em sua vida. A obra se destaca por sua descrição poética e surreal da natureza, além de suas reflexões filosóficas e existenciais. Não é por acaso que esse livro é considerado uma das melhores obras literárias de todos os tempos em território brasileiro.

37 – Grandes Esperanças (Charles Dickens – 1861) 

Grandes Esperanças (Charles Dickens – 1861) 

“Grandes Esperanças” de Charles Dickens (1861): Este magnífico romance conta a cativante história de um jovem chamado Pip, que se empenha arduamente para alcançar seus sonhos e desvendar sua verdadeira identidade, enfrentando as intensas pressões impostas pela sociedade e sua própria família. Este livro é amplamente conhecido por sua descrição realista e carregada de emoção sobre a vida na Inglaterra do século XIX, bem como por sua profunda análise das questões sociais e psicológicas da época, proporcionando aos leitores uma experiência enriquecedora e reflexiva.

38 – Guerra e Paz (Liev Tolstoi – 1869) 

“Guerra e Paz” de Liev Tolstoi (1869): Este romance é amplamente considerado uma das maiores obras da literatura russa. Ele narra de forma detalhada e realista a história da Rússia durante as Guerras Napoleônicas no início do século XIX, explorando a vida de diversos personagens da alta sociedade russa. Além disso, o livro se destaca por sua profunda análise das questões humanas e filosóficas, proporcionando uma visão abrangente da história e da sociedade russa.

39 – Hamlet William Shakespeare (1603) 

Hamlet William Shakespeare (1603)

“Hamlet” de William Shakespeare (1603): Esta obra é amplamente reconhecida como uma das mais célebres peças de Shakespeare e narra a saga de um jovem príncipe chamado Hamlet, que se dedica a vingar a morte de seu pai enquanto lida com as suas próprias perturbações mentais. A peça é notoriamente famosa por sua trama envolvente, personagens complexos e reflexões profundas acerca da natureza humana.

40 – Homem Invisível (Ralph Ellison – 1952) 

 Homem Invisível (Ralph Ellison – 1952)

O Homem Invisível, escrito pelo aclamado escritor americano Ralph Ellison em 1952, é uma obra literária que narra a cativante história de um homem negro que, em meio à luta contra a opressão racial, atravessa os desafios impostos pela sociedade e busca pela sua identidade. Este livro clássico é considerado uma das principais obras literárias que abordam a rica e complexa experiência afro-americana. Ao explorar temas como identidade, discriminação e a batalha por igualdade, a narrativa nos convida a refletir sobre questões atemporais e nos inspira a buscar um mundo mais justo e igualitário.

41 – Histórias Extraordinárias (Edgar Allan Poe – 1840)

Histórias Extraordinárias (Edgar Allan Poe – 1840)

“Histórias Extraordinárias” de Edgar Allan Poe (1840): Este livro possui uma magnífica coleção de contos escritos por Poe, os quais são renomados por sua atmosfera sombria e intrigante, bem como por abordarem temas como morte, loucura e mistério. Esses contos são amplamente reconhecidos como uma das primeiras obras do gênero de terror e suspense moderno, proporcionando aos leitores uma experiência literária envolvente e arrebatadora.

42 – Histórias selecionadas (Anton P Chekhov – 1886) 

Histórias selecionadas (Anton P Chekhov – 1886) 

“Seleção de histórias” de Anton P. Chekhov (1886-1904): Este livro é uma coleção de contos escritos por Chekhov, que são conhecidos por sua descrição realista e detalhada da vida cotidiana, bem como pela análise profunda das emoções humanas. Esses contos são amplamente reconhecidos como uma das principais contribuições para a literatura russa e mundial, e continuam a encantar leitores ao redor do mundo até os dias de hoje.

43 – Ilíada (Homero – 700 a.C.)

Ilíada (Homero – 700 a.C.)

“A Ilíada” de Homero (Séc. VIII a.C.): Este é um dos mais antigos e significativos poemas épicos da literatura mundial. Ele narra os acontecimentos da Guerra de Tróia, focando nas incríveis façanhas do herói Aquiles. O poema é reconhecido por sua descrição ampla e minuciosa da guerra, bem como por sua análise aprofundada de questões humanas e mitológicas, cativando assim o interesse de leitores ao longo dos séculos.

44 – Jacques, o Fatalista, e Seu Amo (Denis Diderot – 1796)

Jacques, o Fatalista, e Seu Amo (Denis Diderot – 1796)

“Jacques, o Fatalista, e Seu Amo” de Denis Diderot (1796): Este notável romance francês narra a cativante história de um criado chamado Jacques e seu amo, que se lançam em uma épica jornada repleta de aventuras incríveis. Durante essa jornada, eles compartilham experiências, histórias e reflexões profundas acerca do destino, da liberdade e do sentido da vida. Esta obra literária é amplamente aclamada pela sua escrita experimental e filosófica, o que a torna uma leitura obrigatória para todos aqueles que desejam explorar questões existenciais e a natureza humana.

45 – Livro Das Mil e Uma Noites (Desconhecido – 700) 

Livro Das Mil e Uma Noites (Desconhecido – 700) 

“O Livro Das Mil e Uma Noites”: Este é um livro extremamente famoso conhecido como “As Mil e uma Noites”, trata-se de uma coletânea de contos orientais que possui sua origem datada do século VIII. Nas páginas deste livro, podemos encontrar uma infinidade de histórias encantadoras, que vão desde contos de fadas mágicos até aventuras emocionantes. Além disso, esse livro é repleto de narrativas envolventes que exploram temas como amor, sabedoria, e muito mais. Tamanha é a sua importância, que suas histórias são amplamente conhecidas e apreciadas pela sua riqueza de personagens, ambientes e temas variados.

46 – Madame Bovary (Gustave Flaubert – 1857) 

Madame Bovary (Gustave Flaubert – 1857) 

“Madame Bovary” de Gustave Flaubert (1857): Este maravilhoso romance francês narra a incrível história de Emma Bovary, uma mulher que anseia por mais do que a tranquila vida provinciana, embarcando assim em uma emocionante e apaixonante busca por aventura. Este livro é famoso tanto pelo seu estilo de escrita minucioso e realista, quanto pela brilhante análise das complexas questões sociais e psicológicas da época em questão.

47 – Masnavi (Jalalludin Rumi – 1700) 

Masnavi (Jalalludin Rumi – 1700) 

Masnavi por Jalal ad-din Rumi é um trabalho incrível, escrito por um poeta e místico do Afeganistão no século XIII. Este livro magnífico é uma incrível coleção de poesia sufista, que se concentra de forma magistral na busca espiritual do indivíduo pelo conhecimento de Deus. Não é exagero dizer que essa obra-prima é uma das principais e mais impactantes contribuições para a poesia sufista. O livro é frequentemente comparado à Divina Comédia de Dante, o que demonstra sua importância e grandeza.

48 – Medeia (Eurípides – 480 aC) 

Medeia (Eurípides – 480 aC)

Medeia é uma obra-prima do teatro escrita pelo dramaturgo grego Eurípides por volta do ano 480 a.C. Nas páginas deste livro, somos apresentados à história de Medeia, uma mulher grega que, traída pelo marido, decide se vingar de forma cruel, matando seus filhos e amantes. Com seus poderes mágicos, ela tramara uma vingança absoluta, buscando a aniquilação completa de seus inimigos.

Ao desafiar os padrões de sua época e conferir protagonismo e individualidade a uma personagem feminina, Eurípides nos presenteou com uma das maiores tragédias já escritas. Medeia é considerada uma das peças mais importantes da literatura grega antiga, tratando de temas atemporais como vingança, amor e traição. A leitura dessa obra é uma experiência cativante e fascinante, capaz de envolver e provocar reflexões profundas.

49 – Memórias de Adriano (Marguerite Yourcenar – 1951)  

Memórias de Adriano (Marguerite Yourcenar – 1951)  

As Memórias de Adriano, escrito pela renomada autora francesa Marguerite Yourcenar em 1951, são uma obra-prima da literatura francesa que merece destaque. Este livro de ficção histórica narra a vida do imperador romano Marco Aurélio – também conhecido como Adriano – através de suas próprias memórias fictícias. Por meio dessa narrativa envolvente, somos convidados a embarcar numa jornada única, explorando temas profundos como filosofia, poder e a essência da humanidade. Considerado um dos melhores livros de todos os tempos, ele encanta, enriquece e nos transporta para uma época fascinante da história. Não há dúvidas de que essa obra literária cativa o leitor com sua criatividade arrebatadora.

50 – Metamorfoses (Ovídio – 43 a.C.) 

Metamorfoses (Ovídio – 43 a.C.) 

As Metamorfoses foi escrita por Ovídio, um famoso poeta romano, por volta de 43 a.C. Essa obra é uma rica coleção de mitos e lendas da mitologia grega e romana, que são contadas de forma criativa através de diversas histórias de transformação e metamorfose. Esse livro em particular é considerado uma das principais obras da poesia da literatura romana e é frequentemente estudado como uma fonte valiosa de conhecimento sobre a mitologia antiga. Através dessas histórias incríveis, os leitores são transportados para um mundo mágico onde deuses e mortais se entrelaçam em aventuras fascinantes e inesquecíveis. Vale a pena se perder nessas páginas cheias de imaginação e descobrir os segredos ocultos por trás dessas transformações extraordinárias.

51 – Middlemarch (George Eliot – 1871) 

 Middlemarch (George Eliot – 1871) 

O romance Middlemarch foi magistralmente escrito pela renomada escritora inglesa George Eliot entre os anos de 1871 a 1872. Esta obra-prima é uma ficção histórica envolvente que se desenrola nas encantadoras paisagens de Middlemarch, uma cidade fictícia localizada na Inglaterra rural do século XIX. Ao longo do livro, somos mergulhados nas fascinantes histórias, vidas e relacionamentos dos habitantes dessa cidade, proporcionando um retrato vívido das complexidades da política, da sociedade e da individualidade da época. Com uma narrativa cativante e personagens envolventes, Middlemarch se estabelece como um autêntico clássico da literatura inglesa que merece ser apreciado com toda a sua riqueza de detalhes.

52 – Moby-Dick (Herman Melville – 1851) 

Moby-Dick (Herman Melville – 1851) 

Moby-Dick foi escrito pelo renomado escritor americano Herman Melville em 1851, há quase dois séculos atrás. A famosa obra literária é uma incrível aventura marítima que narra a cativante história de um intrépido caçador de baleias chamado Ismael e sua incessante e apaixonante busca pelo lendário e temido Moby Dick, a majestosa e gigantesca criatura branca dos oceanos. O livro vai muito além disso, destacando-se por abordar profundamente temas fascinantes da natureza humana, como a obsessão desenfreada que consome a alma humana, desvelando as sombras mais ocultas e as motivações mais profundas que impulsionam os personagens em sua busca irrefreável pela justiça e pela vingança.

53 – Mrs. Dalloway (Virginia Woolf – 1925) 

Mrs. Dalloway (Virginia Woolf – 1925) 

O romance “Mrs. Dalloway” foi escrito pela renomada autora inglesa Virginia Woolf em 1925. A obra narra minuciosamente a vida de uma mulher chamada Clarissa Dalloway durante um único dia, enquanto ela se envolve nos preparativos de uma festa. Além disso, o livro explora de forma profunda e instigante temas como a consciência individual, a psicologia dos personagens e as complexas interações sociais que permeiam a narrativa.

54 – Nostromo (Joseph Conrad – 1904) 

Nostromo (Joseph Conrad – 1904) 

Nostromo, uma obra escrita pelo renomado autor inglês Joseph Conrad em 1904, trata-se de uma empolgante ficção histórica. A trama se desenrola em uma cidade fictícia chamada Costaguana, situada na vibrante América Latina. O livro nos envolve com a cativante história de um homem chamado Nostromo e sua incansável batalha pela busca da riqueza e do poder. Além disso, a obra destaca temas complexos como a corrupção, a ambição e a busca pela identidade nacional, o que a torna uma leitura fascinante e reflexiva para os apreciadores de literatura.

55 – Odisséia (Homero – 700 aC) 

Odisséia (Homero – 700 aC) 

A Odisséia é um maravilhoso poema épico escrito por Homero, cuja data de publicação é desconhecida, mas estima-se que tenha sido escrita no século VIII a.C. Esse incrível poema narra a emocionante história de Odysseus, um herói grego, e sua longa e desafiadora jornada de regresso para casa após a lendária e épica Guerra de Tróia.

A Odisséia é amplamente reconhecida como uma obra-prima e está entre os melhores livros de todos os tempos, graças à sua complexidade e riqueza literária, além de ser um dos primeiros exemplos da grande literatura ocidental. Este poema épico explora uma série de temas fascinantes, incluindo a própria essência da guerra, os laços familiares que nos unem, a importância da fidelidade, os desafios da busca pela sabedoria e, por fim, a jornada interior do protagonista em busca da paz interior. É igualmente notável pela descrição detalhada da cativante mitologia grega que fascinou gerações, bem como pela criação de personagens complexos, repletos de características humanas que os tornam absolutamente cativantes e imersivos.

A Odisséia é, sem sombra de dúvidas, um verdadeiro tesouro da literatura universal que deve ser apreciado por todos os amantes da boa escrita, da aventura emocionante e da fascinante mitologia grega.

56 – O Amor Nos Tempos do Cólera (Gabriel García Márquez – 1985)

O Amor Nos Tempos do Cólera (Gabriel García Márquez – 1985)

O romance “O Amor Nos Tempos do Cólera” foi magistralmente escrito pelo renomado autor colombiano Gabriel Garcia Marquez em 1985. Esta obra-prima literária é uma narrativa que envolve um amor profundo e arrebatador, cujo enredo se desenrola ao longo de várias décadas, transportando os leitores por uma jornada emocional e reflexiva. Considerada uma das principais contribuições de Garcia Marquez para a literatura, esta obra-prima é amplamente aclamada como um dos melhores livros de todos os tempos. Através de seus personagens cativantes e da trama intricada, o livro explora temas universais como o poder do amor, a passagem inexorável do tempo e a complexidade da natureza humana, provocando uma reflexão profunda sobre a condição humana e suas experiências mais profundas.

57 – O Caderno Dourado (Doris Lessing – 1962)

O Caderno Dourado (Doris Lessing – 1962)

O Caderno Dourado, escrito pela renomada escritora inglesa Doris Lessing em 1962, apresenta uma narrativa fascinante que envolve um grupo diversificado de indivíduos em torno da discussão de suas crenças, ideias e percepções sobre a vida. Ao mergulhar nas profundezas da filosofia, sociedade e comunicação, esta obra literária nos convida a refletir de maneira instigante sobre questões essenciais da existência humana.

58 – O Castelo (Franz Kafka – 1926)

O Castelo (Franz Kafka – 1926)

O livro intitulado “O Castelo”, escrito pelo renomado escritor boêmio Franz Kafka em 1926, é uma obra magistral que conta a envolvente história de um homem corajoso e determinado que se esforça incansavelmente para se tornar parte integrante de uma comunidade. Entretanto, mesmo diante de seus esforços incessantes, ele é cruelmente rejeitado repetidamente, o que desperta reflexões profundas sobre temas essenciais como autoridade, burocracia e o sentimento de isolamento. Indubitavelmente, esta criação literária se destaca como uma das principais obras-primas imortalizadas na trajetória de Kafka, capturando a essência da condição humana em sua abordagem magistralmente intricada e provocativa.

59 – O Conto de Genji (Shikibu Murasaki – 1000) 

O Conto de Genji (Shikibu Murasaki – 1000)

O Conto de Genji, uma obra literária escrita pela talentosa escritora japonesa Shikibu Murasaki, surgiu por volta do ano 1000. Essa magnífica obra literária é considerada o primeiro romance da história japonesa. O enredo envolvente dessa narrativa nos transporta para o universo do príncipe Genji, explorando suas fascinantes relações amorosas e políticas. Além disso, o livro aborda temas de extrema importância, como a sociedade, a cultura e a dinâmica das relações de gênero. É impossível não se encantar e se identificar com essa obra-prima, que nos convida a refletir sobre esses aspectos fundamentais da vida.

60 – O Decamerão (Giovanni Boccaccio – 1348) 

O Decamerão (Giovanni Boccaccio – 1348) 

O Decamerão, obra literária escrita pelo renomado autor italiano Giovanni Boccaccio entre os anos 13148 e 1353, apresenta uma fascinante coleção de contos que retratam não apenas a vida, mas também as histórias intrigantes de uma ampla variedade de personagens durante um período marcado por uma epidemia avassaladora de peste. Além disso, o livro destaca-se por abordar temas profundos que abrangem desde questões de moralidade e sociedade até a complexidade da natureza humana, proporcionando aos leitores um mergulho envolvente em reflexões filosóficas e análises socioculturais.

61 – O Estrangeiro (Albert Camus – 1942) 

O Estrangeiro (Albert Camus – 1942) 

Children of the Alley é um romance magnífico escrito por Naguib Mahfouz e foi publicado originalmente em 1959. O livro narra a fascinante história de várias gerações de uma família egípcia, os Al-Sayyid Ahmad, e sua vida na animada cidade do Cairo, no Egito. Children of the Alley ganhou notoriedade por sua abordagem realista e crítica social da vida no Egito, bem como por seu estilo único de ficção histórica. Um dos aspectos mais marcantes deste livro é a magistral forma como Mahfouz retrata a vida e a rica história do Egito, através de uma escrita intensa e detalhada, que mergulha os leitores num mundo de aventuras e emoções. Portanto, é indiscutível que este livro deve ser apreciado por todos aqueles que valorizam uma narrativa profunda e envolvente.

62 – O Homem Sem Qualidades (Robert Musil – 1930) 

O Homem Sem Qualidades (Robert Musil – 1930)

O livro O homem sem qualidades de Robert Musil foi escrito pelo aclamado escritor austríaco Robert Musil entre os anos de 1930 e 1943, sendo dividido em três volumes fascinantes. Essa obra-prima literária conta a história cativante de Ulrich, um homem que enfrenta inúmeras batalhas em busca de significado em sua vida. Além de ser reconhecido como um dos principais tesouros da literatura austríaca do século XX, o livro aborda temas profundos como existencialismo, identidade e sociedade, proporcionando uma reflexão fascinante sobre a condição humana.

63 – O Idiota (Fiódor Dostoiévski – 1869) 

O Idiota (Fiódor Dostoiévski – 1869) 

O Idiota, escrito pelo renomado escritor russo Fiódor Dostoiévski em 1869, é uma obra literária que narra a fascinante história de um homem chamado Myshkin. Após passar anos em um sanatório, ele retorna à sociedade russa, entrando em contato com uma variedade de personagens e situações complexas. O livro é amplamente reconhecido como uma das principais obras de Dostoiévski e, para muitos, é considerado um dos melhores livros de todos os tempos. Além disso, a narrativa brilhante destaca de forma perspicaz temas intrigantes como moralidade, loucura e a complexa natureza humana.

64 – O Livro do Desassossego (Fernando Pessoa – 1982) 

O Livro do Desassossego (Fernando Pessoa – 1982) 

O Livro do Desassossego, uma obra magistral escrita pelo renomado escritor português Fernando Pessoa em 1982, é uma coleção fascinante de fragmentos meticulosamente escritos pelo icônico heterônimo Bernardo Soares. Este livro singular é amplamente reconhecido como uma das obras mais importantes de Pessoa e se destaca ao abordar de forma profundamente intrigante temas como o existencialismo, a solidão e a vida urbana. Através de sua escrita rica em reflexões e questionamentos, esta obra cativa os leitores, levando-os a mergulhar nas complexidades e nuances da vida humana.

65 – Mahabharata (Desconhecido – 500 aC) 

Mahabharata (Desconhecido – 500 aC) 

Mahabharata é uma epopeia da Índia antiga, composta por volta de 500 a.C. É considerada uma das principais obras literárias do país e uma das maiores obras de ficção épica de todos os tempos. O enredo do livro narra os conflitos pelo trono entre duas famílias reais, os Pandavas e os Kauravas.

66 – O Morro Dos Ventos Uivantes (Emily Brontë – 1847) 

O Morro Dos Ventos Uivantes (Emily Brontë – 1847) 

O Morro dos Ventos Uivantes de Emily Brontë, escrito em 1847, é amplamente reconhecido como um dos melhores livros de todos os tempos, devido à sua escrita intensa que captura de forma magistral a complexidade de emoções, a essência do ser humano e a vida na pitoresca paisagem rural da Inglaterra. Este romance épico narra a apaixonante história de Catherine Earnshaw e Heathcliff, dois jovens que compartilharam um amor arrebatador, porém, cujo destino foi trágico e marcado pelo peso das convenções sociais e o inexorável passar do tempo. Ao longo da narrativa, Brontë explora com maestria temas universais, como paixão avassaladora, a natureza humana em todas as suas facetas e as cruéis disparidades sociais que regem a sociedade.

67 – O Mundo se Despedaça (Chinua Achebe – 1958)

O Mundo se Despedaça foi escrito pelo renomado escritor nigeriano Chinua Achebe no ano de 1958. Esta obra literária magnífica narra a história envolvente de um homem chamado Okonkwo e sua incansável luta contra as transformações sociais e culturais que assolam sua querida aldeia. Além disso, é importante ressaltar que esse livro é considerado uma das principais obras da rica literatura africana. Ao explorar temas como a colonização, a identidade cultural e a resistência, Achebe tece uma narrativa profunda e complexa que mergulha o leitor em uma reflexão instigante sobre a humanidade.

68 – O Pomar (Sheikh Musharrif ud-din Sadi – 1292) 

O Pomar (Sheikh Musharrif ud-din Sadi – 1292)

O Pomar, um trabalho literário escrito pelo renomado poeta persa Sheikh Musharrif ud-din Sadi, é uma maravilhosa coleção de poemas envolventes, contos mágicos e histórias cativantes sobre as complexidades da vida e a profunda sabedoria que podemos encontrar no mundo ao nosso redor. Esta notável obra de arte literária destaca temas intemporais como a poderosa força da amizade verdadeira, o vívido poder do amor e a busca pela virtude em meio às dificuldades do cotidiano. Nascido no encantador Shiraz, no Irã, no ano de 1184, Saadi – conhecido pelo seu pseudônimo Muslih-ud-Din Mushrif ibn Abdullah – é amplamente reconhecido como um dos maiores poetas medievais persas, cujos versos fluem como um rio encantador, transportando os leitores para um mundo de inspiração e encantamento.

69 – O Processo (Franz Kafka, Bohemia – 1915) 

O Processo (Franz Kafka, Bohemia – 1915) 

O Processo foi escrito pelo renomado escritor boêmio Franz Kafka no ano de 1915. Esta obra literária narra a intrigante história de um homem chamado Josef K, que se vê envolvido em uma acusação criminal sem saber exatamente do que é acusado, o que por si só já desperta nossa curiosidade. Considerada uma das principais obras de Kafka, esse livro é profundo e reflexivo, explorando temas como autoridade, burocracia e justiça, e nos faz questionar as estruturas sociais que regem nossas vidas.

70 – O Ramayana (Valmiki – 300 a.C.) 

 O Ramayana (Valmiki – 300 a.C.) 

O Ramayana, uma obra-prima do poeta indiano Valmiki, escrita por volta do ano 300 a.C., é uma das principais epopeias da rica literatura indiana. Essa magnífica narrativa épica conta a história de Rama, um príncipe cuja jornada heroica em busca da salvação de sua amada esposa raptada nos proporciona reflexões profundas sobre temas tão fundamentais quanto a lealdade, a virtude e a retidão.

71 – O Reconhecimento de Sakuntala (Kalidasa – 400)

O Reconhecimento de Sakuntala (Kalidasa – 400)

O Reconhecimento de Sakuntala, escrito pelo renomado poeta indiano Kalidasa por volta do ano 400, é considerada uma das mais importantes e notáveis obras de teatro da literatura indiana. Esta peça narra de forma apaixonante a história de amor entre o nobre e destemido rei Dushyanta e a sábia, inteligente e encantadora Sakuntala, ressaltando temas universais como o poder avassalador do amor, a lealdade inabalável e a busca incessante pela justiça e equidade.

72 – O Som da Montanha (Yasunari Kawabata – 1948)

O Som da Montanha (Yasunari Kawabata – 1948)

O livro intitulado “O Som da Montanha” foi escrito pelo renomado escritor japonês Yasunari Kawabata em 1948. Esta obra exemplar narra a cativante história de um homem chamado Kambara, que, em busca de inspiração, decide aventurar-se em uma cidade montanhosa de beleza ímpar, mergulhando em um turbilhão de relacionamentos complexos e fascinantes. Ao longo do enredo, são abordados temas profundos e significantes, como a solidão, a arte e a relação harmoniosa com a natureza.

73 – O Som e a Fúria (William Faulkner – 1929) 

O Som e a Fúria (William Faulkner – 1929)

O Som e a Fúria de William Faulkner, publicado em 1929, é amplamente reconhecido como um dos livros mais marcantes de todos os tempos, não apenas pela sua estrutura narrativa complexa, mas também pela abordagem inovadora em relação à história e à psicologia dos personagens. Ao longo da narrativa, através de quatro diferentes pontos de vista, o livro nos transporta para a história da família Compson, explorando temas profundos como a decadência da sociedade sulista dos Estados Unidos, a relação complexa e delicada entre os irmãos e a essência intrínseca da natureza humana.

74 – O Tambor (Gunter Grass – 1959) 

O Tambor de Gunter Grass, renomado romance publicado em 1959, é amplamente aclamado como uma das maiores obras literárias de todos os tempos, sendo admirado por sua abordagem realista e penetrante da história e política alemãs. O enredo envolve a vivência de um homem que se infiltra em uma cidade ocupada pelos nazistas, proporcionando uma visão íntima da luta e dos desafios enfrentados durante esse período sombrio da humanidade. Além disso, o livro destaca temas profundos e relevantes, como a resistência, a moralidade e a constante batalha pela liberdade, trazendo reflexões instigantes e cativantes para os leitores.

75 – O Velho e o Mar (Ernest Hemingway – 1952) 

O Velho e o Mar de Ernest Hemingway foi escrito em 1952 e é amplamente aclamado como um dos melhores livros de todos os tempos. Com sua escrita minimalista e capturadora, a obra retrata de forma impactante a natureza da vida e as batalhas enfrentadas pelos seres humanos. O enredo acompanha a jornada de um velho pescador que luta incansavelmente para capturar um peixe de grande porte, abordando temas profundos como perseverança, determinação e a experiência solitária que permeia a história.

76 – O Vermelho e o Negro (Stendhal – 1830) 

O Vermelho e o Negro (Stendhal – 1830) 

O romance “O Vermelho e o Negro” de Stendhal, publicado em 1830, é amplamente reconhecido como uma das melhores obras literárias de todos os tempos, devido à sua abordagem realista e perspicaz da sociedade francesa da época. A história gira em torno de Julien Sorel, um jovem ambicioso que busca ascender socialmente por meio de suas relações pessoais e românticas. A trama aborda de forma profunda e intrigante temas como ambição, hipocrisia e os valores da sociedade francesa naquele período histórico. “O Vermelho e o Negro” revela-se uma leitura cativante e enriquecedora, capaz de nos transportar para os dilemas e conflitos de uma época marcada por desigualdades e aparências.

77 – Orgulho e Preconceito (Jane Austen – 1813) 

Orgulho e Preconceito (Jane Austen – 1813) 

Orgulho e Preconceito, escrito por Jane Austen em 1813, é amplamente aclamado como um dos melhores livros de todos os tempos devido à sua escrita inteligente e engraçada, que habilmente retrata a complexidade da sociedade inglesa da época. O enredo gira em torno da vida da família Bennet, explorando suas intrigantes relações amorosas e abordando temas atemporais como o orgulho, o preconceito e as peculiaridades da sociedade inglesa do período. A riqueza de detalhes e a perspicácia com que Austen retrata cada personagem fazem dessa obra uma leitura obrigatória para os amantes de literatura.

78 – Os Buddenbrook: Decadência de uma família (Thomas Mann – 1901) 

Os Buddenbrook: Decadência de uma família (Thomas Mann – 1901) 

Os Buddenbrook: Decadência de uma família, escrito por Thomas Mann em 1901, é amplamente reconhecido como uma das maiores obras literárias de todos os tempos. Com sua abordagem realista e profunda da vida e história da família Buddenbrook ao longo de três gerações, o livro nos cativa e nos faz refletir sobre temas como a decadência familiar e a sociedade alemã da época. É uma verdadeira imersão em uma jornada fascinante e enriquecedora.

79 – Os Contos Completos (Edgar Allan Poe – 1845) 

Os Contos Completos (Edgar Allan Poe – 1845) 

Os Contos Completos de Edgar Allan Poe, escrito em 1845, é amplamente reconhecido como um dos mais magníficos livros de todos os tempos devido à sua escrita excepcionalmente sombria e poderosa que captura de forma cativante a complexidade da natureza humana e o medo que a permeia. Essa obra-prima literária consiste de uma cuidadosa seleção de contos, incluindo histórias famosas como “O Corvo” e “O Barril de Amontillado”, que destacam os temas intrigantes do terror, mistério e sobrenatural. Com sua habilidade única de evocar sensações e emoções intensas no leitor, este livro é uma leitura indispensável para aqueles que apreciam uma narrativa profunda e inquietante.

80 – Os Contos de Canterbury (Geoffrey Chaucer – 1387) 

Os Contos de Canterbury (Geoffrey Chaucer – 1387) 

Os Contos de Canterbury de Geoffrey Chaucer, escritos em 1387, são considerados um dos melhores livros de todos os tempos por sua escrita engraçada e inteligente que captura brilhantemente a essência da sociedade inglesa da época. O livro é uma coleção de contos fascinantes que narram a história emocionante de um grupo de peregrinos viajando para Canterbury, compartilhando suas histórias e aventuras extraordinárias. Além disso, o livro aborda de forma perspicaz e sagaz temas complexos como a religião, a moralidade e a sociedade inglesa medieval, proporcionando uma experiência literária enriquecedora.

81 – Os Demônios (Fiódor Dostoiévski – 1872)

Os Demônios (Fiódor Dostoiévski – 1872)

Os Demônios, obra-prima escrita por Fiódor Dostoiévski em 1872, é amplamente reconhecido como um dos melhores livros de todos os tempos graças à sua abordagem profunda e complexa da psicologia humana e da sociedade russa do século XIX. O enredo envolve uma trama envolvente que se desenrola em torno de um grupo de jovens radicais determinados a realizar um assassinato político, proporcionando uma análise perspicaz dos temas prementes da política, moralidade e as nuances da natureza humana. O livro oferece aos leitores uma imersão completa na Rússia do século XIX, capturando vividamente a atmosfera social e política desse período fascinante. As reflexões profundas e a escrita magistral de Dostoiévski tornam Os Demônios uma leitura incontornável para os aficionados por literatura clássica.

82 – Os Filhos da Meia-noite (Salman Rushdie – 1981)  

Os Filhos da Meia-noite (Salman Rushdie – 1981)

Os Filhos da meia-noite foi escrito pelo renomado escritor indiano-britânico Salman Rushdie em 1981. Esta obra-prima da ficção histórica se desenrola nas terras encantadoras da Índia e nos leva a acompanhar a cativante jornada de uma geração de crianças que nasceram precisamente à meia-noite, no dia da independência da Índia. Ao longo das páginas deste livro incrível, somos imersos em temas profundos e fascinantes, que vão desde a busca pela identidade nacional até as viagens épicas pela história e pela imaginação.

83- Os Irmãos Karamazov (Fiódor Dostoiévski – 1880) 

Os Irmãos Karamazov (Fiódor Dostoiévski – 1880)

Os irmãos Karamazov, obra escrita por Fiódor Dostoiévski em 1880, é amplamente reconhecido como um dos melhores livros de todos os tempos devido à sua abordagem profundamente complexa da psicologia humana e das relações entre os irmãos Karamazov. Este livro magnífico aborda de forma perspicaz temas como religião, moralidade e a natureza intrínseca do ser humano, proporcionando uma riqueza de reflexões e ensinamentos que perduram ao longo do tempo.

84 – Otelo (William Shakespeare – 1604) 

Otelo (William Shakespeare – 1604) 

Otelo de William Shakespeare, escrito em 1604, é considerado um dos melhores livros de todos os tempos por sua abordagem poderosa e intensa da natureza humana e da relação entre os personagens. O livro narra a história do general Otelo e sua esposa Desdêmona, e sua relação com o seu fiel ajudante Iago, que o manipula para acreditar que sua esposa o trai. O livro destaca temas como ciúme, traição, vingança, conflitos sociais e a influência do ego na tomada de decisões. A obra é um verdadeiro marco na literatura mundial, transcendendo gerações e inspirando leitores de todas as idades. Por sua complexidade e profundidade, Otelo continua sendo estudado e analisado por estudiosos e críticos até os dias de hoje, sempre revelando novas camadas de significado e compreensão. Além disso, a peça continua sendo encenada em teatros ao redor do mundo, garantindo que o legado de Shakespeare permaneça vivo e pulsante.

85 – Pantagruel e Gargântua (François Rabelais – 1532) 

Pantagruel e Gargântua (François Rabelais – 1532)

Pantagruel e Gargântua, escritos por François Rabelais entre 1532 e 1534, são considerados um dos melhores livros de todos os tempos pela escrita cômica e satírica que capturam brilhantemente a essência da sociedade francesa da época. A obra narra as incríveis aventuras do gigante Gargântua e seu filho Pantagruel, abordando de forma magistral temas como educação, religião e política, que continuam extremamente relevantes nos dias de hoje.

86 – Pedro Páramo (Juan Rulfo Juan Rulfo – 1955) 

Pedro Páramo (Juan Rulfo Juan Rulfo – 1955) 

Pedro Páramo de Juan Rulfo, escrito em 1955, é amplamente aclamado como um dos melhores livros de todos os tempos devido à sua escrita poética e intensa, que habilmente retrata a natureza intricada da sociedade mexicana rural e suas ricas tradições culturais. Essa obra-prima literária mergulha os leitores em uma jornada fascinante, narrando a história de um homem que retorna à sua cidade natal e, ao desvendar os segredos e histórias de seus antepassados, traz à tona reflexões profundas sobre memória, identidade e a essência intrínseca da cultura mexicana.

87 – Píppi Meialonga (Astrid Lindgren – 1945) 

Píppi Meialonga (Astrid Lindgren – 1945) 

Píppi Meialonga, escrito por Astrid Lindgren em 1945, é considerado um dos melhores livros de todos os tempos devido à sua escrita incrivelmente criativa e divertida, que captura perfeitamente a essência da infância e do universo infantil. O enredo narra as fascinantes e emocionantes aventuras de Pippi, uma garota incrivelmente forte e independente, explorando temas como amizade, criatividade e imaginação. Não há dúvidas de que este livro encantará leitores de todas as idades, proporcionando uma leitura rica e prazerosa.

88 – Poemas (Paul Celan – 1944) 

Poemas (Paul Celan – 1944) 

“Poemas de Paul Celan, escritos entre os anos de 1944 e 1970, são amplamente reconhecidos como um dos melhores livros de todos os tempos devido à sua escrita poética e intensa. Essa obra magistral permitiu ao autor capturar de forma profunda a essência da experiência humana e também a história sombria do Holocausto. Além disso, esse livro incrível representa uma coleção de poemas excepcionais de Celan, que engloba suas obras mais famosas, como “Todesfuge”. Além disso, a obra destaca de maneira especial temas universais e relevantes, como a perda, o luto e o trauma, tornando-a uma leitura essencial para todos aqueles que desejam se aprofundar nessa rica e complexa área da literatura.”

89 – Rei Lear (William Shakespeare – 1603) 

Rei Lear (William Shakespeare – 1603) 

Rei Lear, a renomada obra de William Shakespeare, escrita entre os anos de 1603 e 1606, é amplamente aclamada e considerada uma das melhores da literatura mundial. Com sua escrita incrivelmente poderosa e intensa, o livro cativa os leitores ao explorar a complexidade da natureza humana e o intricado relacionamento entre pais e filhos. Ao longo da narrativa, somos imersos na história do Rei Lear, que decide dividir seu reino entre suas três filhas, mas acaba mergulhando em temas profundos, como loucura, traição e justiça, que continuam a ressoar até os dias de hoje.

90 – Romanceiro Gitano (Federico Garcia Lorca – 1928) 

Romanceiro Gitano (Federico Garcia Lorca – 1928) 

O Romanceiro Gitano, escrito por Federico Garcia Lorca em 1928, é amplamente reconhecido como um dos melhores livros de todos os tempos. Sua escrita poética e intensa captura de maneira única a essência da cultura gitana e da Espanha rural. Ao longo deste livro, encontramos uma bela coleção de poemas que exploram de uma forma profunda os temas da paixão, da morte e da rica cultura gitana que inspiram e encantam os leitores.

91 – Saga de Njáll (Desconhecido – 1300) 

Saga de Njáll (Desconhecido – 1300)

A saga de Njáll, escrita na Islândia no século XIII, é amplamente considerada um dos melhores livros de todos os tempos devido à sua escrita incrivelmente detalhada e intensa, que habilmente captura a natureza complexa da sociedade islandesa medieval, bem como a importância da lei naquela época. O livro narra a história fascinante de Njáll, um homem extraordinariamente sábio e justo, e destaca temas profundos, como a busca pela justiça, as intricadas leis vigentes e a rica cultura islandesa que envolvia todos os aspectos da vida e das relações sociais.

92 – Tempo de Migrar Para o Norte (Tayeb Salih – 1966)

Tempo de Migrar Para o Norte de Tayeb Salih, escrito em 1966, é amplamente aclamado como um dos grandes marcos da literatura mundial. O romance exibe uma narrativa rica em detalhes, mergulhando nas profundezas da vida rural no Sudão e capturando suas nuances e transformações ao longo do tempo. Ao acompanhar a trajetória do protagonista ao retornar para sua aldeia natal, o livro aborda temas como memória, identidade e a rica cultura sudanesa, envolvendo o leitor em uma experiência que transcende os limites do tempo e do espaço.

93 – Trilogia do Pós-guerra (Samuel Beckett – 1946) 

Trilogia do Pós-guerra (Samuel Beckett – 1946) 

A Trilogia do pós-guerra é composta por três romances magistrais: Molloy, Malone Morre e Esperando Godot, escritos entre os anos de 1946 e 1953. Este inigualável conjunto de livros é considerado uma das maiores obras-primas da literatura de todos os tempos, devido à sua escrita intensa e inovadora que captura de forma sublime a essência do ser humano e a complexidade da linguagem. Cada romance desta trilogia explora de maneira meticulosa e apaixonante temas que contemplam a existência, a linguagem e a inevitabilidade da morte.

94 – Ulisses (James Joyce – 1922) 

Ulisses (James Joyce – 1922) 

Ulisses de James Joyce, escrito em 1922, é amplamente reconhecido como um dos melhores livros de todos os tempos, graças à sua escrita inovadora e intensa que capta vividamente a essência da vida urbana e da consciência humana. Ao narrar meticulosamente um único dia na vida de Leopold Bloom e Stephen Dedalus, a obra aborda temas profundos como identidade, linguagem e cultura irlandesa. Considerado uma verdadeira obra-prima da literatura moderna, o livro é admirado por sua estrutura complexa e por sua escrita experimental e vanguardista, que desafia as convenções tradicionais e abre novos horizontes para a prosa.

95 – Uma Casa de Bonecas (Henrik Ibsen – 1879) 

Uma Casa de Bonecas (Henrik Ibsen – 1879)

Uma Casa de Bonecas, uma peça teatral escrita por Henrik Ibsen em 1879, é amplamente reconhecida como uma das melhores obras de todos os tempos devido à sua escrita envolvente e profunda que retrata de forma intensa a natureza da sociedade e a dinâmica das relações entre homens e mulheres. Narrando a história de Nora Helmer e sua luta pela independência e liberdade, esse livro explorou de maneira habilidosa temas como liberdade individual, igualdade de gênero e a complexidade dos valores e normas sociais.

96 – Uma Educação Sentimental (Gustave Flaubert – 1869) 

Uma Educação Sentimental (Gustave Flaubert – 1869) 

Uma Educação Sentimental de Gustave Flaubert é uma obra-prima da literatura escrita em 1869. Este livro é amplamente reconhecido como um dos melhores de todos os tempos, devido à sua escrita detalhada e intensa que captura a essência da vida e da educação sentimental. A história gira em torno de Frédéric Moreau, um personagem intrigante e complexo, em sua busca por amor e conhecimento. Além disso, a narrativa destaca temas profundos, como a paixão ardente, os desafios do processo educacional e as nuances da sociedade francesa.

97 – O Pai Goriot (Honoré de Balzac – 1835) 

O Pai Goriot (Honoré de Balzac – 1835) 

O Pai Goriot de Honoré de Balzac, escrito em 1835-1836, é amplamente reconhecido como um dos melhores livros de todos os tempos. Sua escrita intensa e detalhada captura de forma notável a complexidade da sociedade e das ambições humanas. A narrativa envolvente do livro descreve a história de um velho e suas relações com suas filhas, mergulhando em temas profundos como ambição, família e a sociedade francesa. Essas reflexões profundas e a caracterização realista dos personagens estabelecem O Pai Goriot como uma obra-prima literária, deixando uma marca indelével na história da literatura.

98 – Viagem ao Fim da Noite (Louis-Ferdinand Céline – 1932) 

Viagem ao Fim da Noite (Louis-Ferdinand Céline – 1932) 

Viagem ao Fim da Noite, escrito por Louis-Ferdinand Céline em 1932, é amplamente reconhecido como um dos melhores e mais marcantes livros de todos os tempos devido a sua escrita intensa e inovadora, que captura de forma brilhante a essência da vida e da consciência humana. A narrativa segue a história de Bardamu, um médico francês, em suas diversas jornadas pelo mundo, abordando temas como guerra, solidão e a própria condição humana. A escrita crua e realista presente na obra reflete fielmente a natureza intrínseca da vida e do mundo, tornando-a uma leitura cativante e inesquecível.

99 – Vida e Proezas de Aléxis Zorbás (Nikos Kazantzakis – 1946) 

Vida e Proezas de Aléxis Zorbás (Nikos Kazantzakis – 1946) 

“Vida e Proezas de Aléxis Zorbás de Nikos Kazantzakis, escrito em 1946, é considerado um dos melhores livros de todos os tempos por sua escrita intensa e detalhada que captura a natureza da vida e da busca pela liberdade. O livro narra a cativante história de Aléxis Zorbás, um homem que enfrenta múltiplos desafios enquanto procura o verdadeiro significado da vida, destacando temas complexos como a liberdade, a eterna busca pela verdade e o profundo significado existencial que permeia nossas existências em constante evolução.”

Conclusão

Foi um prazer explorar alguns dos melhores livros de 2023. De romances engenhosos como os de Charles Dickens, Jane Austen e Miguel de Cervantes a coleções interessantes como a de Stephania Borges, esses livros trazem uma qualidade imersiva que só pode ser experimentada por meio da leitura.

Talvez um dia a IA ou os robôs consigam reproduzir completamente a literatura, mas, por enquanto, é importante ter em mente que a leitura é fundamental para alcançar o autoconhecimento.

Não perca a chance de explorar essas grandes obras-primas, como Orgulho e Preconceito e Guerra e Paz; afinal, nenhuma outra atividade pode nos proporcionar tanto aprendizado e entretenimento ao mesmo tempo.

Então, por que não dar a si mesmo a oportunidade de mergulhar nessas incríveis aventuras? Pegue um livro hoje mesmo; você ficará feliz por tê-lo feito!

Artigos Relacionados

5/5 - (1 vote)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *